“Ih, vou ver”: Moro orientou MPF sobre inclusão de provas em acusações

moro

Da redação –Nesta sexta-feira (5), a revista Veja publicou sua primeira matéria em parceria com o sítio The Intercept Brasil, levantando dados das conversas privadas entre procuradores da Lava Jato e o ex-juiz Sérgio Moro, fornecidas por uma fonte anônima ao jornalista Glenn Greenwald, fundador do Intercept.

A reportagem mostra uma série de irregularidades na conduta de Moro durante as investigações da Lava Jato. Moro orientou promotores e até policiais federais. As conversas com Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, eram constantes. Nas sombras, Moro revela-se o verdadeiro chefe da operação.

Entre as novas revelações, Dallagnol aparece em um diálogo com Laura Tessler orientando-a a incluir uma prova no caso do réu Zwi Skornicki. Repassava uma orientação do próprio Sérgio Moro, para quem a prova chegaria para ser analisada. Ou seja, o juiz, que deveria ser imparcial e analisar as provas apresentadas pela acusação e pela defesa, simplesmente orientava ele mesmo a inclusão de provas. Os réus desses processos jamais tiveram realmente assegurado seu direito à defesa. Esse foi o caso de Lula, como já se denunciava antes, e por isso todos os seus processos devem ser imediatamente anulados.