Greve Estudantil!
Em uma assembleia estudantil realizada neste sábado (25), foi aprovado o indicativo de greve no Instituto Federal de Goiás campus Itumbiara em apoio a greve do Setor Leste.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Webp.net-resizeimage (1)
IFG campus Itumbiara | Foto: Reprodução

Os companheiros grevistas do Setor Leste convulsionaram outras instituições de ensino para organização da greve contra os ataques do governo Bolsonaro. Estudantes dos Institutos Federais de Goiás buscaram o Comitê de Luta Estudantil – DF para mobilizar a luta em seus campus, e neste sábado dia 25 eles aprovaram o indicativo de greve em assembleia estudantil contra o EAD, a volta às aulas e pelo Fora Bolsonaro! Eles reivindicam, seguindo o exemplo dos companheiros do DF e além de tais questões, a suspensão do calendário letivo e o governo tripartite nas escolas e universidades. Ambas tarefas colocadas pelo manifesto da Aliança da Juventude Revolucionário (AJR)

A assembleia contou com a presença de 65 estudantes, 40 fixos em toda reunião virtual. Eles foram convocados pelos alunos do IFG que participaram de reunião com o Comitê de Luta e com a AJR. Após uma ampla discussão a respeito do EAD, foi colocado que o ensino à distância deve ser combatido em todos os níveis. Ele caracteriza uma precarização da educação e uma etapa para privatizar completamente o ensino. Apesar de alguns defenderem as medidas da reitoria com argumentos excessivamente direitistas, como a necessidade de adaptação a proposta, os alunos se colocaram completamente contra o programa da direita.

Como denunciam membros do próprio Diretório Central dos Estudantes, no IFG a reitoria decide de forma antidemocrática o retorno das aulas. Não estão sendo realizadas assembleias e nem pesquisas minimamente decentes para aprovar o retorno do calendário em agosto. Muitos estudantes nem sabem do que se trata, e a Minuta lançada pela burocracia tem o claro interesse de seguir o plano de Bolsonaro para a educação: começar o mais rápido possível com o ensino à distância. Em primeiro lugar para fundamentá-lo como alternativa permanente de ensino, e assim reforçar as barreiras para a classe trabalhadora ingressar nas instituições de ensino, ou melhor, nas plataformas das empresas e dos bancos mundiais. Em segundo, para abrir espaço para a reabertura econômica não suspendendo o ano letivo.

A direita anseia desesperadamente pela volta às aulas durante a pandemia. Faz parte central de seu projeto para flexibilizar a quarentena e garantir a salvação da economia capitalista. O trânsito de estudantes, professores e suas famílias são necessários para socorrer os índices do PIB. Por isso, todos os estudantes precisam seguir o exemplo dos companheiros de Itumbiara, para combater as medidas genocidas e ditatoriais da direita para educação e para população brasileira, não é só a educação pública em jogo, mas a própria vida.

Outro ponto fundamental para garantir as reivindicações é a defesa do governo tripartite nas escolas. O governo dos estudantes, professores e funcionários, aqueles que sofrem com os ataques imperialistas e os únicos que podem organizar e ditar o calendário letivo. Também foi comentado que ninguém pode contrair o que foi votado, isso, como pronunciou um estudante, é um ataque a decisão dos alunos, além de uma ação completamente antidemocrática. Para finalizar ressaltaram a importância da luta se somar com outras escolas e outras categorias, centralizando o movimento em torno da derrubada do governo genocida.

Colaborando com os estudantes do Setor Leste, que já esvaziam as aulas, e sobre a palavra de ordem do Fora Bolsonaro, responsável pela destruição da educação e pelo genocídio da juventude, os estudantes declaram o indicativo de greve com a maioria dos votos. Não vai ter ensino à distância, não vai ter ditadura na educação!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas