Mobilização da juventude
Os jovens não querem empreender, mas sim derrubar Bolsonaro e conquistar seus direitos
Foto: UOL
Manifestação da juventude contra governo Bolsonaro | Foto: Reprodução

A ideologia burguesa está sempre sendo propagandeada a todo vapor pelos veículos de informação da própria burguesia. Em tempos de crise, essa imprensa avança ainda mais com a disseminação desses ideais reacionários em seus jornais, revistas, emissoras de tv, etc. Uma dessas propagandas é a defesa interminável do que se entende como empreendedorismo, apresentado em recente artigo no jornal Estado de Minas, intitulado “A importância dos jovens para o empreendedorismo”.

O artigo se apropria dos serviços de pesquisa da burguesia, que só servem para apontar, por meio de estatísticas totalmente contraditórias e mal intencionadas, o posicionamento dessa classe em relação a um determinado assunto. Podemos observar isso com clareza ao ver os responsáveis pela tal pesquisa: Fundação Telefônica Vivo, em parceria com o tradicional IBOPE. A pesquisa em questão aponta que 60% dos jovens teriam como propósito de vida empreender. Qualquer pessoa minimamente próxima da classe trabalhadora tem conhecimento de que as necessidades materiais da população se expressam em emprego e salário justos, acesso a moradia, saúde, educação, saneamento e mais uma infinidade de direitos democráticos que lhes são negados. Negados pela própria burguesia e pelos empresários responsáveis por esse tipo de pesquisa e da defesa do tal empreendedorismo.

Nesse mundo fantasioso pintado pelo artigo, sua autora ainda aponta para um dado que vem diretamente das profundezas da ideologia da burguesia, a de que “existem estudos que apontam que pessoas estão atingindo a marca do primeiro milhão de reais antes de completar 30 anos, e isso já faz parte da mudança no mundo dos negócios”.

Poderíamos considerar que trata-se de algum tipo de delírio ou de uma completa confusão por parte da autora. Mas o caso concreto é que se trata de mais um avanço dessa ideologia reacionária, representada numa tentativa de confundir e iludir a população. A ideia do empreendedorismo dá a entender que existe um mercado competitivo, sem monopólios e que todos podem virar milionários, bastando somente um esforço individual. O caso aqui expressa que essa ideologia estaria melhor ainda representada nos jovens, que seriam setores mais inovadores.

É importante destacar que a juventude é um dos setores mais atacados pela burguesia, visto que são setores que estão mais propensos a se organizar e sofrem constantemente com a questão do desemprego. Para combater o empreendedorismo e a ideologia burguesa é preciso uma ampla mobilização de todos os setores da juventude, das escolas até as universidades. Os movimentos estudantis devem organizar comitês em defesa dos seus interesses, lutando contra a implementação do Ensino a Distancia, contra a volta às aulas e pelo Fora Bolsonaro. A derrubada do governo golpista faz-se imprescindível para o avanço na questão da juventude e para barrar os ataques à educação, visto que não é possível consertar o governo Bolsonaro trocando seus ministros.

 

Foto: UOL
Relacionadas