O fascismo quer privatizar
Esgotada toda via administrativa que se reduz aos pedidos chorosos de deputados resta a mobilização dos trabalhadores para barrar as privatizações.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
images(1)
A entrega da estatal tem pressa e o governo do Distrito Federal a anunciou neste sábado | Foto: Reprodução.

Seguindo a política nefasta do fascista Bolsonaro, o golpista Ibaneis decidiu entregar todas as estatais do DF. Essa política é a mesma orquestrada por governos golpistas, desde o PSDB, DEM, PSL, etc. É certo também que só a mobilização dos trabalhadores para barrar as privatizações.

Assim, o Governo do Distrito Federal anuncia privatização de estatal de energia. Uma entrega na verdade a bagatela remonta o preço mínimo de venda é de R$ 1,424 bilhão. Uma tramoia no estabelecimento do valor eis que esse valor foi calculado a partir de duas avaliações realizadas por consultorias independentes contratadas pelo BNDES (Banco do Desenvolvimento Econômico e Social)..

A entrega da estatal tem pressa e o governo do Distrito Federal anunciou neste sábado (26) a privatização da CEB (Companhia Energética de Brasília). Foram mobilizados o conselho de administração da CEB que, aprovou a convocação de uma assembleia geral para chancelar a venda da empresa.

Tudo isso foi possível pois o governo do Distrito Federal é o acionista majoritário da companhia. O preço mínimo vil de venda é de R$ 1,424 bilhão não paga as instalações da estatal. A decisão foi rapidamente comunicada aos acionistas e ao mercado em fato relevante divulgado pela companhia na tarde deste sábado.

Tudo foi feito às pressas e no afogadilho. O documento é assinado pelo diretor administrativo-financeiro e de relações com investidores da empresa, Joel Antônio de Araújo. Após deliberação da assembleia geral, as ações serão ofertadas em leilão organizado pela B3.

A empresa é altamente lucrativa. Em 2019, o grupo CEB obteve lucro líquido de R$ 119 milhões -um aumento de 32% em relação ao ano anterior.

Ibaneis queria liquidar a empresa e, o primeiro passo para a venda da companhia foi dado em 2019, quando o governador do Distrito Federal, contratou o BNDES para assessorar o processo. Já em fevereiro de 2020, Ibaneis declarou que a privatização da CEB é irreversível e prioridade do governo.

Era irrevogável a decisão do privatistas: “Não existe outra alternativa”, diz Ibaneis sobre privatizar CEB. Nada o demovia do intento, o Governador recebeu os deputados distritais Chico Vigilante e Arlete Sampaio, que levaram proposta para manter a estatal nas mãos do GDF.

O governador driblou os pedidos dos deputados dizendo, “Respeito a posição dos parlamentares, estaremos sempre abertos a ouvi-los, mas não existe outra alternativa”, disse o governador à coluna. “A privatização será feita tal qual o projeto desenhado pelo governo. É uma decisão amadurecida”, afirmou.

Esgotada toda via administrativa que se reduz aos pedidos chorosos de deputados, resta a mobilização dos trabalhadores para barrar as privatizações.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas