Privatização no DF
Querem fazer com o BRB o que fizeram na era do famigerado FHC (PSDB) quando entregaram, “a preço de banana”, quase todos os bancos estaduais para os banqueiros

Por: Redação do Diário Causa Operária

O governo golpista da Capital Federal, Ibaneis Rocha, e seus prepostos à frente do Banco de Brasília no Conselho de Administração, soltou, para o mercado, Fato Relevante, no último dia 21 de dezembro, para a venda de ações do banco e, com isso o Governo do DF, que detém 75,44% das ações ordinárias, com direito a voto, e 96,85% das ações preferenciais, somando 80,33% do total, pretende transferir o controle da empresa para a inciativa privada, ou seja, se não for a transferência do controle com essa jogada, é mais um passo para a completa privatização logo em seguida.

O governador Ibaneis como um bom serviçal dos grande banqueiros e capitalistas, nacionais e internacionais, está impondo uma política de entrega do patrimônio do povo de Brasília com o objetivo de satisfazer o apetite desses sanguessugas. Recentemente este mesmo serviçal deu o tiro de misericórdia na privatização da CEB (Companhia Energética de Brasília), uma das empresas mais importantes da cidade, para uma empresa de um país imperialista espanhol, Neoenergia.

Depois da efetivação da privatização da CEB, o governo já anunciou a abertura do capital do Metrô de Brasília e da Companhia de Saneamento Ambienta do DF (CAESB), responsável pela infraestrutura de água e esgoto da cidade. Além disso o governo já entregou ao Estádio Mané Garrincha e o Ginásio de Esportes Nilson Nelson, o parque aquático e com a ajuda o governo ilegítimo Bolsonaro o maio parque ecológico do DF, a Água Mineral.

A privatização do BRB não deixa dúvida em relação à transferência de um patrimônio, que tem objetivo de favorecer a população de Brasília através de ações sociais, uma carteira de crédito ampla de R$ 14,5 bilhões, que alcançou um lucro recorrente registrado este ano de R$ 319 milhões, aumento de 12,8% na comparação com o mesmo período de 2019.

As privatizações conta, ainda, com a participação ativa da reacionária Câmara Legislativa do DF, quando esta mesma casa aprovou a autorização para que o governo do DF renegocie sua dívida, com o também reacionário governo federal, com a venda das empresas estatais.

O anúncio do Fato Relevante da direção do banco ao mercado, não deixa dúvida de que querem fazer com o BRB o que fizeram na era do famigerado FHC (PSDB) quando entregaram, “a preço de banana”, quase todos os bancos estaduais para os banqueiros do Itaú, Bradesco e Santander.

O Banco de Brasília é um patrimônio do povo de Brasília, uma instituição que oferece crédito aos excluídos do sistema de crédito dos bancos privados, um banco que favorece pequenas e microempresas, empreendedores informais, a agricultura familiar, pequenas propriedades rurais, com taxas de juros subsidiadas, ou seja, como banco público tem uma política pública que propicia o acesso ao crédito aos mais desfavorecidos, ainda que a mesma venha sendo duramente atacada pelos golpistas nos últimos anos.

A intenção da direita golpista é acabar com tudo o que é público e beneficiar meia dúzia de capitalistas em crise às custas dos trabalhadores e de toda a população em geral.

Os trabalhadores do BRB, conjuntamente com outras categorias dos serviços públicos do DF, que estão também na mira dos ataques do governo fascista de Ibaneis, devem organizar uma ampla mobilização contra mais este ataque dos golpistas.

Send this to a friend