Hospital Vital: 250 demitidos
O velho golpe da falência está em marcha para os funcionários do Hospital Vital em Mauá, que chegaram para trabalhar e encontraram o hospital literalmente desmontado e fechado
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Hosp vital (1)
250 trabalhadores demitidos pela Medical Health em Mauá | Foto: radioabc.com.br

Na última terça feira, após o feriado de 7 de setembro, quando os funcionários do Hospital Vital, de Mauá, chegaram para trabalhar, deram de cara com o prédio hospitalar totalmente vazio. Os patrões num verdadeiro golpe, colocaram empresa para retirar todo o mobiliário e equipamentos hospitalares, até mesmo lâmpadas, torneiras, fiação e até elevadores foram retirados, o prédio ficou praticamente nu e 250 trabalhadores estão demitidos, sem sequer nenhum direito acertado.

Este é um velho golpe os capitalistas para saírem com os cofres cheios, alegando falência e deixando os trabalhadores com uma mão na frente e a outra atrás. Nestes golpes, para evitar que os trabalhadores tenham seus direitos garantidos, nem que seja pela justiça definindo que o arcabouço material do hospital seja vendido para pagar os direitos trabalhistas dos demitidos, os patrões lançam mão do sequestro e esconderijo do material e depois na justiça alegam falência para sequer pagar os direitos dos trabalhadores.

De acordo com denúncias de trabalhadores, eles foram informados que o hospital passaria para nova administração, novos patrões e que os trabalhadores seriam mantidos. No entanto pela manhã, quando os funcionários chegaram ao estacionamento do hospital para a reunião, receberam a surpresa: “O grupo novo, que pelo que vimos é o Sagrada Família, disse que não vai contratar ninguém, nem mesmo vão ficar com os antigos que já trabalhavam há um tempo” relatou uma trabalhadora. Outra ainda citou que: “Tem algumas pessoas que ainda não tiraram férias, outras que não receberam FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), e disseram que esse novo grupo pagaria antes mesmo que todos voltassem a trabalhar, mas agora estamos todos nós na mão, sem saber se temos emprego e sem perspectiva.

Frente ao golpe o Sindicato dos trabalhadores na saúde privada, o SindSaúde ABC realizou assembleia com os trabalhadores no próprio estacionamento do hospital.

Após assembleia, os capitalistas criminosos, que até a semana anterior tinham seus funcionários enfrentando a pandemia, com trabalhadores e familiares inclusive contaminados, chamaram o sindicato que anunciou que irá na próxima terça-feira (15) de manhã em assembleia com os trabalhadores colocar o resultado da reunião, que conm certeza não trará nada de bom ´para os trabalhadores, que devem nessa assembleia aprovar mobilizações de rua contra os patrões até a revogação de suas demissões.

No entanto, o Sindsaúde, num enorme erro político, cancelou a manifestação que os funcionários fariam nesta segunda feira em frente a Medical Health, em Santo André (empresa responsável pelo Hospital Vital em Mauá) na próxima segunda feira, que na pior das hipóteses serviria para denunciar o caráter criminoso dos patrões em fechar um hospital na calada da noite.

O exemplo de Mauá, deve servir de lição para qualquer trabalhador, pois mais e mais no próximo período, os capitalistas protegidos pelos fascistas no poder, lançarão mão destes enormes golpes contra os trabalhadores. É necessário a mobilização dos trabalhadores em Mauá (assim como pelo país afora), pelo Fora Bolsonaro, o genocida que mata o povo e enche os cofres patronais.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas