Homens torturados por militares no Rio vão dar testemunha no MPF esta semana

Soldados das Forças Armadas durante operação no Rio de Janeiro

Da redação – Oito homens que denunciaram terem sido torturados por militares na Vila da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, serão ouvidos esta semana pelo procurador da República Eduardo Santos de Oliveira, do Ministério Público Federal (MPF).

Em 20 de agosto, uma operação do Exército na comunidade Caixa D’Água deteve oito homens (um deles, menor de idade) e os levou à 1ª Divisão de Exército, na Vila Militar, Zona Oeste, onde as vítimas denunciaram ao jornal Extra terem sido torturadas.

Entre as torturas relatadas, estaria o espancamento com pedaços de madeira e chicotadas com fios elétricos. Oliveira disse ao portal G1 que por volta de dez militares participaram da sessão de tortura.

Trata-se de mais um caso de repressão brutal dos militares desde que foi decretada a intervenção do Exército no Rio de Janeiro, no início do ano. Diversos casos foram relatados por moradores de favelas envolvendo tanto o Exército como a Polícia Militar.

A intervenção militar no Rio de Janeiro é uma operação criminosa, com o objetivo de reprimir a população, espionar os movimentos populares e preparar as Forças Armadas para um golpe militar a nível federal, caso a situação política e social saia do controle dos golpistas.

A esquerda e os movimentos sociais devem se organizar imediatamente para se unir (de maneira independente da burguesia) e lutar para a derrota do golpe, dos militares e por um governo dos trabalhadores.