Menu da Rede

Domingo: Rui C. Pimenta apresentará balanço da situação política

Nas ruas

Hoje deve ser o dia da retomada das grandes mobilizações

A esquerda volta às ruas após mais de um ano. Agora, é preciso permanecer e ampliar o movimento

É preciso voltar a encher as ruas e pintá-las de vermelho – Foto: Reprodução

Hoje, milhares de trabalhadores, estudantes, mulheres, negros, sem terra, sem teto, enfim, toda a população oprimida, saem às ruas do País.

As principais reivindicações são vacina para todos com quebra das patentes, auxílio emergencial e criação de empregos.

As reivindicações

É preciso exigir dos governos, todos genocidas, sejam eles o federal, estaduais ou municipais, a vacinação imediata da população. É obrigação do governo conseguir as vacinas, nem que para isso recorra à quebra das patentes para trazer as vacinas ao País contra o monopólio criminoso da indústria farmacêutica.

O auxílio de R$150 é um escárnio contra o povo. Mesmo os antigos R$600, que atingiram pouca gente, já eram insuficientes. Diante de uma inflação galopante que transforma em exorbitantes os preços dos produtos mais básicos e das contas que o trabalhador tem de pagar todo o mês, é preciso exigir um auxílio de no mínimo um salário mínimo.

São cerca de 90 milhões de desempregados reais no País. Os trabalhadores, assim, arruínam-se a cada dia. Contra essa situação, é preciso exigir a redução da jornada de trabalho para 35 horas semanais sem redução salarial – trabalhar menos para que todos trabalhem. Conjuntamente, é necessária uma política de contratação em massa de trabalhadores para obras públicas e de infraestrutura.

Extremamente necessária é a reversão das privatizações. A recuperação das empresas estatais, além de serem a retomada do patrimônio público roubado pelos capitalistas na época de FHC, geraria milhões de empregos para os trabalhadores.

As mobilizações

Após mais de um ano paralisadas, as direções da esquerda atenderam ao chamado das bases. São atos populares espalhados por dezenas de cidades do País inteiro.

Mobilizações começam a tomar conta do Brasil, mesmo que aos poucos. Diversas categorias, como os professores, metroviários, rodoviários, portuários e petroleiros vêm ensaiando greves e movimentações classistas.

Os trabalhadores têm realizado uma grande pressão por um movimento contra a direita, que se expressa nas greves e nos atos dos dias 27 de fevereiro, 31 de março, 1° de maio e deste 29 de maio.

Cada um desses atos foi o resultado dos atos e movimentações anteriores. A tendência dos trabalhadores é justamente à mobilização nas ruas, a um enfrentamento direto e radical contra a direita golpista e o governo Bolsonaro, contra a extrema-direita e a burguesia.

A situação na América Latina também influencia para empurrar a tendência da população para a esquerda. São gigantescas mobilizações de massas na Colômbia, no Chile, no Paraguai, no Peru e em outros países do continente no último período.

Ao contrário do que muitos pensam, o Brasil também não está longe de explodir em termos de um amplo movimento social de massas. A chacina do Jacarezinho foi uma pequena amostra do que podem fazer as manifestações espontâneas dos oprimidos, com inúmeros atos por todo o País logo após o massacre.

A candidatura de Lula é outro fator de agitação entre as massas, uma vez que elas a veem como alternativa à barbárie causada por Bolsonaro e pelo conjunto do direita.

É preciso fazer destes atos de hoje o passo inicial para uma grande jornada de mobilizações de massas, organizando os trabalhadores em um movimento radical de luta contra os golpistas e pelas reivindicações populares.

É preciso se manter nas ruas, pois elas são o único caminho para que os explorados possam assegurar que suas necessidades sejam atendidas, através da sua organização independente. Formar um gigantesco movimento por Fora Bolsonaro e todos os golpistas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.