Destruidor de empregos
Doria, que cortou a antecipação da 1ª. parcela do 13º dos servidores de São Paulo, cortou adicionais, corta também os empregos dos trabalhadores de limpeza, do metrô de São Paulo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
limpeza metro
Funcionário limpando o vagão. Imagem: Amanda Barros/Trensurb. |

Para minimamente poder enfrentar a doença, com alguma possibilidade de relativo sucesso, governo não disponibiliza testes generalizados para todos, tampouco alcoolgel, máscaras também não. Nas poucas atividades essenciais que funcionam, nem o mínimo ambiente de higiene e limpeza, o governo garante.

O metrô do governo Dória, acaba, de determinar a demissão dos trabalhadores terceirizados de limpeza.

Nada é tão ruim que não possa piorar. A pandemia do vírus corona se espraia tal qual fogo em palha seca. Não tendo estrutura mínima, não tendo máquinas entubadoras, não tendo respiradores, não tendo leitos de UTI para minimamente enfrentar a epidemia, governo manda o povo ficar em casa. Para casa, literalmente vão os trabalhadores de limpeza do metrô de São Paulo, ora demitidos.

O inferno ganha sempre

Inicialmente o herói era o diabo, em um segundo momento era o capeta, o herói. Eis que neste momento surge um novo herói. O “coisa ruim”, é o herói do momento. Ele atende pelo nome de João Dória, o “João trabalhador”

Tal qual os heróis queimados, um após os outros, esses heróis todos do “pau oco”, sempre aplicam a mesma política contra o povo trabalhador. Esses novos “heróis do pau oco”, atuam de forma sincronizada, no momento de aprovar a reforma trabalhista, a terceirização geral e irrestrita dos contratos de trabalho, a destruição das aposentadorias. Tudo com a promessa, que somente assim, uma enxurrada de novos empregos seriam criados.

À pretexto do corona, novos ataques ao trabalhador

Eis, que os novos heróis, chamados de Maia, Alcolumbre, Vitzel, Caiado, Bolsonaro, ou qualquer novo apelido para esses novos heróis do povo, o trabalhador vê-se brindado com a aprovação da carteira verde amarela, talvez emprego, sem direitos, no entanto. Redução de jornada de trabalho e de salários, tudo, em nome de empregos preservar.

Que emprego preservar que nada. Após toda a destruição de direitos, nem o emprego depenado de todos os direitos o emprego é preservado. Doria, que cortou a antecipação da 1ª. parcela do 13º dos servidores de São Paulo, cortou adicionais, corta também os empregos dos trabalhadores de limpeza, do metrô de São Paulo.

Novos heróis do povo teriam vindo para “salvar vidas”, diz a lenda

Como tudo nesses novos heróis é falso. Falsa também é, a ideia de que teriam vindo para salvar vidas. Nada mais falso. Realização de outro possível herói, o prefeito Covas, trata de na Vila Formosa, 100 novas covas para enterrar vítimas de vidas não salvas por esses heróis. Contratação de conteiners para suprir 3000 cadáveres não suportados pelo Instituto Médico Legal, e contração de 200 novos coveiros, e o total colapso do sistema de saúde para as próximas semanas, é demonstração cabal, que esses novos heróis, de heróis do povo nada são.

Novos heróis do povo, são destruidores de direitos, destruidores de empregos, são destruidores de vidas. Eis o que são esses novos heróis do povo, quer sejam chamados de Bolsonaro, Vitzel, Caiado, Zema, ou o próprio Dória.

Dória, o suposto novo herói do povo apresentado inclusive por setores da esquerda não faz sequer o básico, e ainda demite, os essenciais trabalhadores de limpesa do metrô.

Fora Bolsonaro, fora Dória, fora todos os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas