Siga o DCO nas redes sociais

Luciano Hang
Havan é condenada por coagir funcionários a votarem em Bolsonaro
Esse foi um dos muitos episódios da fraude eleitoral de 2018
26/03/2019 Reunião com Deputada Joice Hasselmann
Luciano Hang
Havan é condenada por coagir funcionários a votarem em Bolsonaro
Esse foi um dos muitos episódios da fraude eleitoral de 2018
Luciano Hang (direita) é notório apoiador de Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR
26/03/2019 Reunião com Deputada Joice Hasselmann
Luciano Hang (direita) é notório apoiador de Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

Da redação – O fascista Luciano Hang, dono das lojas Havan, foi condenado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em caráter definitivo, por coagir seus funcionários a votarem em Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018.

O órgão judicial afirmou que o capitalista fez uso de “propaganda eleitoral irregular”. No entanto, não se trata apenas disso.

No final de setembro do ano passado, Hang divulgou vídeo no qual ameaçava que, se a esquerda vencesse as eleições, ele demitiria 15 mil funcionários, assim, obrigando seus operários a votarem em Bolsonaro se não quisessem perder o emprego, o que é proibido.

Por isso, ele terá de pagar míseros R$ 2 mil de multa, estabelecida pelo TSE.

Esse foi um dos muitos episódios da fraude eleitoral de 2018, no qual muitos eleitores foram obrigados ou coagidos a votar em Bolsonaro, a contragosto, para não perderem seus empregos, pois os capitalistas estavam a seu favor.