“Hackers”: uma armação contra a esquerda?

moro hacker

Nesta terça-feira (23/07), a Polícia Federal prendeu quatro suspeitos de “hackear” os celulares do procurador Deltan Dallagnol e do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro. Os quatro suspeitos foram presos na Operação Spoofing e interrogados pelos agentes da PF e as declarações são do mesmo sentido das delações das empreiteiras contra o PT e Lula.

Segundo o advogado de Elias Santos, um dos presos, que declarou que um dos principais suspeito de comandar o esquema de invasão de celulares, Walter Delgatti Neto, teria intenções de vender as informações para o Partido dos Trabalhadores (PT). “Ele [Elias Santos] confirma que o Walter [Delgatti] tinha ao menos informações acerca da conta de Telegram do juiz Moro. A única coisa que ele acrescentou a mais é que a intenção [de Delgatti] era vender essas informações ao PT”, disse o advogado Ariovaldo Moreira.

Já no site golpista e capacho do imperialismo, O Antagonista, diz que o advogado dos suspeitos, Ariovaldo Moreira diz que “o Walter disse para ele que a intenção seria, no momento em que mostrou as mensagens, que a ideia era vender para o Partido dos Trabalhadores. Meu cliente narrou que o Walter tem uma certa simpatia pelo Partido dos Trabalhadores”.

A direita e sua imprensa já arrumaram “delações” dos hackers contra o PT nos mesmos moldes da operação Lava-Jato. Estão manipulando as delações e os “supostos” hackers para continuar sua campanha contra o PT e para perseguir os jornalistas do sítio The Intercept, que está divulgando as mensagens que comprovaram a perseguição e manipulação para prender Lula, perseguir o PT e fraudar as eleições passadas.

Os hackers, a operação para prender, as “delações” são uma grande farsa montada para justificar o aumento da repressão, impor um estado policialesco para perseguir politicamente a esquerda e manter a direita do poder acabando com o direito dos trabalhadores e entregando todo o patrimônio nacional para o imperialismo.