Guerra? EUA exigem que Brasil “lidere” ofensiva contra a Venezuela

mattis e nunes

Após um mês e meio da chegada do vice-presidente norte-americano ao Brasil, Mike Pence, agora chega o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis. Pousou no aeroporto de Brasília com um superpotente avião de guerra, e a agenda teve como primeiro compromisso uma reunião, no dia 13 de agosto, com o Ministro golpista das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes.

O twitter oficial da embaixada ianque no Brasil indica que a reunião teve como pauta a relação bilateral dos países concernente à defesa política-militar na região.

O também do chefe do pentágono, James Mattis, veio ao brasil, ao que tudo indica, para discutir os caminhos da ofensiva político-militar contra o vizinho venezuelano. Na medida em que a crise na América Latina avança, tendo em vista o caso da Nicarágua, a solução destrutiva para a crise na Venezuela se torna ainda mais necessária e urgente.

A visita, em menos de dois meses, de autoridades do imperialismo indica os planos e os interesses para se dominar a política latino-americana, cujo um dos principais eixos de afronta é a Venezuela. O plano do imperialismo é acabar com todos os governos nacionalistas para que possa abrir caminho em favor das privatizações e, consequentemente, abrir espaço para os monopólios internacionais, em especial os norte-americanos. Eis aí, portanto, um dos motivos principais para o golpe de estado de 2016 no Brasil, bem como para a prisão ilegal do ex-presidente Lula, tidos como governos nacionalistas. É preciso, enfim, lutar pela candidatura de Lula de modo a combater o imperialismo de guerra.