Ameaça de morte na arte
Após “pelada” com uma bola em forma da cabeça de Bolsonaro feita de silicone, grupo de artistas recebe ameaça de morte de fascistas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
cabeca-bolsonaro (1)
Bola de futebol com uma cabeça de Bolsonaro feita com silicone | Foto: Reprodução / Twitter

Uma instalação do grupo americano de arte de rua Indeclive, com o artista plástico espanhol Eugenio Merino, criou o projeto Freedom Klick, ou chute da liberdade, onde a iniciativa promove partidas de futebol amador, em que cabeças de silicone de políticos de direita são transformadas em bolas de futebol. E assim foi feita com operários e pessoas que repudiam o governo golpista de Bolsonaro, no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, com a cabeça do fascista Jair Bolsonaro. Já no exterior, entrou em campo a bola com cabeça do fascista americano, Donald Trump.

Na divulgação do vídeo brasileiro no Instagram do coletivo, um adolescente assiste a vídeos do presidente Jair Bolsonaro sentado numa escadaria estampada com um grafite da vereadora assassinada Marielle Franco. Em seguida, o jovem guarda o celular no bolso e sai andando de skate pelas ruas de São Paulo. Ele então chega a um cemitério e retira de um túmulo a cabeça de Bolsonaro enrolada em um saco de lixo, que é usada como bola de uma partida de futebol numa quadra de bairro.  No final da partida, um dos membros do time entregou a cabeça de Bolsonaro para um cachorro labrador, que destroçou seu novo brinquedo antes de posar para uma foto com toda a equipe.

Segundo um representante anônimo do Indecline, pois o coletivo não revela a identidade de seus integrantes: “o futebol tem peso maior do que a religião, globalmente, mesmo fora da época da Copa do Mundo. Além disso, é uma forma de reunir as pessoas, muito importante para famílias inteiras na Europa e nas Américas Central e do Sul. Por isso o esporte foi escolhido para criticar líderes que o grupo considera “descarados”. Depois da divulgação, os integrantes do grupo passaram a receber ameaças de morte e segundo o membro em questão, uma resposta que já era esperada, dado o histórico de ações críticas do grupo contra governos de extrema direita.

No post do vídeo da pelada no Instagram do Indecline, há 143 mil comentários, inclusive, onde alguns fascistas afirmam que o coletivo desrespeitou Bolsonaro e ameaçam seus integrantes de prisão. Já o coletivo escreve na postagem: “Ele (Bolsonaro) se ofende com homossexualidade, feminismo e socialismo, mas fica excitado com toda fantasia de violência contra seus oponentes políticos. Mas os oponentes não são tão rígidos e trazem alegria e movimento à sua resistência, que fez de brasileiros como Pelé um ícone em todo o mundo”.

Formado em 2001 por grafiteiros, fotógrafos e ativistas, o Indecline é conhecido por realizar projetos com o objetivo chocar a opinião pública, como quando instalou um boneco de Trump atrás das grades dentro de uma suíte luxuosa da Trump Tower, em Nova York. As cabeças destruídas pelos chutes serão exibidas em galerias de arte da Holanda e da Espanha, ainda neste ano, junto com vídeos e fotos das partidas.

Na verdade o que o coletivo tem como objetivo é combater a extrema direita, e trata de uma crítica ao cenário político atual, em especial no que diz respeito aos conservadores da extrema direita que, antes disso, já propagavam ódio contra o povo. Agora eles estão provando do que eles mesmo pregam, que não tem como combater o fascismo com atitudes de paz e amor, eles só entendem a violência.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas