Participação do PCO nos atos
PCO berra “Fora Bolsonaro” no “Grito dos Excluídos”
Em todos os lugares em que participou dos atos “Grito dos Excluídos”, os militantes do PCO puxaram a palavra de ordem “Fora Bolsonaro”, cada vez mais aceita pelo público.
grito dos excluidos PCO
Participação do PCO nos atos
PCO berra “Fora Bolsonaro” no “Grito dos Excluídos”
Em todos os lugares em que participou dos atos “Grito dos Excluídos”, os militantes do PCO puxaram a palavra de ordem “Fora Bolsonaro”, cada vez mais aceita pelo público.
Militante do PCO, de frente para a faixa “Fora Bolsonaro” gigante.
grito dos excluidos PCO
Militante do PCO, de frente para a faixa “Fora Bolsonaro” gigante.

Conforme já havíamos discutido neste Diário, mesmo diante de muitas dificuldades o “Grito dos Excluídos” do último dia 7 de setembro seria um dia importante de mobilizações. Tendo em vista a crise do governo Bolsonaro, que só aumenta, e por outro lado o crescimento da popularidade da palavra de ordem de “Liberdade para Lula”, os militantes do PCO e dos Comitês de luta contra o golpe e o fascismo compareceram aos atos nas principais cidades do país, puxando o “Fora Bolsonaro” e o “liberdade de Lula”.

Os militantes se organizaram para realizar um amplo trabalho de agitação e propaganda. Ao total, foram dezenas de faixas “Fora Bolsonaro”, “Liberdade para Lula” e bandeiras do PCO, dezenas de milhares de panfletos e adesivos distribuídos, e a venda de jornais Causa Operária em escala nacional atingiu a marca de muitas centenas de exemplares. Pudemos constatar que havia nos atos um certo setor, que aderiu à política de se vestir de preto, e em menor grau, até de verde-amarelo. No entanto, a nossa própria atividade de agitação pôde constatar que a adesão ao “Fora Bolsonaro” e também à “liberdade de Lula” era praticamente uma unanimidade, inclusive nestes setores.

Em São Paulo, a gigantesca faixa “Fora Bolsonaro”, de 300 metros quadrados, foi estendida, e para isto contou com o entusiasmo de dezenas de manifestantes. A tradicional banca de materiais do PCO distribuiu uma ampla quantidade de adesivos e panfletos, bem como outros produtos. No Rio de Janeiro, embora o ato tenha ficado muito aquém do público que seria o correspondente à capital fluminense, totalizando se muito cerca de mil pessoas, o público apoiou em peso a política do partido, o que se refletiu na boa venda de jornais e na distribuição de materiais.

Embora estejamos vendo um setor direitista da esquerda se sentindo muito à vontade, chegando ao ponto de flertar à luz do dia com FHC, o PSDB e outros elementos direitistas, um fenômeno se desenvolve nos subterrâneos da consciência política nacional. A cada dia que passa é maior o contingente de pessoas que adere ao “Fora Bolsonaro” e à “liberdade de Lula”, uma vez que a polarização política segue aumentando e Bolsonaro só afunda. É preciso levantar incansavelmente o “Fora Bolsonaro” para mobilizar e arrastar o cada vez mais amplo da população brasileira que não aguenta mais este presidente fascista.