Todo apoio aos metalúrgicos
Não às centenas de demissões dos metalúrgicos da Renault, organizar a greve ativa dos com ocupação de fábrica para obrigar a empresa a readmitir e reduzir a jornada
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Renault
Trabalhadores aprovam greve por tempo indeterminado, em assembleia | Cut.org.br/ SIND. MET. GRANDE CURITIBA

A fábrica da Renault  em São José dos Pinhais (PR) anunciou a demissão de 747 operários das quatro fábricas paranaenses. As demissões aconteceram depois de os trabalhadores reprovarem, na sexta passada, proposta de PDV (Plano de Demissões Voluntárias) apresentada pela Renault para o desligamento de 800 pessoas da unidade paranaense – responsável pela produção dos modelos Sandero, Stepway, Logan, Duster, Duster Oroch, Captur, Kwid e Master. A empresa joga nas costas dos trabalhadores a crise capitalista aprofundada pela política da extrema direita e da direita no país, alegando que diante da queda de 47% nas vendas da marca no primeiro semestre de 2020, impactadas pela pandemia do coronavírus. E ainda se aproveitando da MP936, aprovada pelo governo fascista de Bolsonaro, os criminosos capitalistas franceses informam com a cara totalmente deslavada que os funcionários demitidos terão direito, além das verbas rescisórias previstas pela Medida Provisória 936, a vale-mercado integral até outubro, plano de saúde até o fim do ano e orientação para recolocação no mercado de trabalho.
Frente ao ataque dos capitalistas industriais, os trabalhadores em assembleia na quarta feira aprovaram iniciar greve por tempo indeterminado de toda a categoria de 5.100 trabalhadores.
De acordo com o presidente do sindicato afirma Sérgio Butka a greve será mantida “enquanto a empresa não voltar a negociar”. “Queremos deixar nosso repúdio pela forma que esta empresa está agindo mesmo recebendo incentivos fiscais do governo do estado para gerar e também manter empregos. Infelizmente não é o que a direção atual desta planta está pensando”. A política de rapina dos capitalistas, no entanto, encontrou apoio até mesmo na direção sindical, pois quando foi apresentada pela empresa que a mesma ia se utilizar da MP 936, não houve luta contra a medida que só beneficia os capitalistas. Agora os capitalistas se apoiam na mesma medida para lucrar ainda mais com a miséria dos trabalhadores.
É necessário aprovar a ocupação da fábrica pelos operários em todas as suas quatro plantas, até a derrota patronal, além de greve ativa dos trabalhadores, assim como a aprovação de greve dos metalúrgicos paranaenses em apoio a luta dos companheiros da Renault , que indiretamente também sofrerão com demissões da fábrica francesa.

É preciso reivindicar nas mondadoras e em todo o País, a redução da jornada de trabalho, sem redução dos salários; a escala móvel das horas de trabalho, com a repartição das horas necessárias para a produção entre todos os trabalhadores, por meio do controle operário da produção. Trabalhar menos para que todos trabalhem!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas