Siga o DCO nas redes sociais

Ataque à soberania nacional
Greve na Casa da Moeda: aumentar o movimento até frear a privatização
Os trabalhadores da Casa da Moeda estão em greve e ocupam a sede administrativa da empresa. O Partido da Causa Operária apoia o movimento de ocupação e luta contra a privatização.
Ataque à soberania nacional
Greve na Casa da Moeda: aumentar o movimento até frear a privatização
Os trabalhadores da Casa da Moeda estão em greve e ocupam a sede administrativa da empresa. O Partido da Causa Operária apoia o movimento de ocupação e luta contra a privatização.
Casa da Moeda (RJ). Foto: Reprodução
Casa da Moeda (RJ). Foto: Reprodução

Os funcionários da Casa da Moeda estão em greve contra a privatização anunciada pelo governo Bolsonaro desde a última sexta-feira (10). Um grupo de trabalhadores ocupa a sede administrativa, que fica no complexo do parque fabril, localizado em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. Na segunda-feira, funcionários registraram o ponto, mas se recusaram a trabalhar.

No dia 5 de novembro de 2019, o presidente Jair Bolsonaro editou uma Medida Provisória (MP) que quebra o monopólio da Casa da Moeda na fabricação de dinheiro, passaportes, selos postais e fiscais federais e controle sobre a fabricação de cigarros e bebidas. A intenção do governo, com a quebra do monopólio, é permitir que um punhado de empresas estrangeiras que dominam o mercado mundial participem em licitação para assumirem o serviço.

A entrega deste serviço para empresas estrangeiras é um atentado contra a soberania nacional, além de aumentar a possibilidade de falsificação de passaportes e outros documentos públicos, a sonegação de impostos e entregar dados fundamentais sobre o funcionamento da economia e sobre a população brasileira nas mãos de empresas estrangeiras, que, como se sabe, são estreitamente ligadas aos governos de outros países. A produção de dinheiro de forma errônea coloca em risco a própria segurança econômica do país.

Países como Estados Unidos, Japão, Unidos, Japão, Coreia do Sul, Austrália, África do Sul, Inglaterra, França, China e Alemanha produzem suas próprias moedas para garantirem a soberania nacional. Nos três países mais industrializados da América Latina, Brasil, Argentina e México, a produção de dinheiro é feita por órgãos públicos. Nos Estados Unidos, a produção da moeda é feita exclusivamente por entidades públicas.

A greve com ocupação da empresa é uma política correta por parte dos trabalhadores. O Partido da Causa Operária apoia o movimento de ocupação, uma vez que este é o único meio de impedir a entrega da Casa da Moeda e o ataque frontal à soberania do país, que são parte do programa golpista de entregar o patrimônio público em função dos interesses do capital internacional e alinhar a política do país de acordo com os interesses do imperialismo mundial.