Greve Geral declarada na Argentina

argentina

Em protesto contra a política neoliberal do Presidente Mauricio Macri, diversos sindicatos, partidos, associações de pequenos comerciantes e movimentos sociais se organizaram em torno da Confederação Geral do Trabalho – CGT e das duas Centrais de Trabalhadores da Argentina para deflagrar uma greve geral nesta segunda-feira, 25. 

Setores como os bancos, postos de gasolina e o de transportes e aeroportos estão paralisados, o que levou as companhias aéreas Latam e Aerolíneas Argentinas a cancelarem a maioria dos voos.

Manifestantes e grevistas contestam as altas taxas de juros, a liquidação das reservas do país, o retorno do país ao FMI, a desvalorização da moeda argentina, o aumento das tarifas públicas, o arrocho salarial e o desemprego, ou seja, todos os ingredientes da política neoliberal imposta pelo governo Macri, à semelhança do que ocorre aqui no Brasil, com o golpe.

Neste cenário, uma pesquisa do Grupo de Opinião Pública realizada em junho indica que se as eleições para Presidente da República fossem hoje, Macri perderia para a ex-presidente Cristina Kirchner, de 30% a 36%.