Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
motorista
|

Da redação – Os motoristas e cobradores de ônibus do Rio de Janeiro, em greve desde a madrugada desta segunda-feira (11), votaram em assembleia geral na parte da noite a suspensão por 24 horas da paralisação, mas a categoria se mantém em estado de greve até a extinção da dupla função motorista-cobrador.

A categoria aceitou a proposta de recomposição salarial oferecida pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), de 7%, por mais que o pedido original fosse de 10%, e será feito em duas vezes – 3,5% em junho e o restante em novembro. A prefeitura também fechou o aumento do valor das cestas básicas de R$ 200 para R$ 300, que foi proposto pelas empresas para apaziguar a categoria.

Os motoristas voltam a se reunir para definir os rumos do movimento no que diz respeito ao fim do acúmulo de função de motorista e cobrador, mantendo-se em “estado de greve” até o prefeito acabar com a dupla função que sobrecarrega os trabalhadores.

O presidente do Sintraturb, Sebastião José, deu a seguinte declaração sobre a greve: “continuamos em estado de greve até que o prefeito decida acabar com a dupla função, disso, a categoria não abre mão.”

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas