Contra a privatização
A greve nacional dos trabalhadores dos Correios que começou no dia 17 de abril, com mais de 70% da adesão da categoria está entrando em seu terceiro dia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Greve correios - DF
Assembleia em Brasília. | Arquivo DCO.

A greve nacional dos trabalhadores dos Correios foi deflagrada no dia 17 de agosto às 22 horas, em meio a Pandemia do Coronavírus.

Aprovada a greve da categoria em 36 bases sindicais em todo o Brasil, a greve foi motivada pelos ataques propostos pela direção golpista da ECT, representante do governo ilegítimo de Jair Bolsonaro.

Os golpistas simplesmente propuseram extinguir o acordo coletivo da categoria, suprimindo os direitos e benefícios dos trabalhadores conquistados ao longo de 40 anos, para reduzi-los ao limite da CLT (Consolidação da Leis Trabalhistas).

Com essa proposta a categoria dos Correios simplesmente perderia mais 50% dos seus ganhos salariais, uma política consciente e pensada pelos golpistas para que seja enxugado os gastos da ECT com folha de pagamento, afim de na sequência promover o processo de privatização da ECT.

A própria direção golpista da ECT promoveu o processo de mobilização da categoria para greve, ao aplicar na véspera da greve, retirada de benefícios e direitos, por o acordo expirou, como por exemplo, 4 vales alimentação, um prejuízo de quase R$ 200 reais do bolso do trabalhador. Nesse sentido, a greve dos Correios foi quase e exclusivamente decidida pelo trabalhador, já que as direções sindicais dos Correios, apelidados de Bando dos Quatro (sindicalistas do PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG -LPS) não fizeram quase nada para que a greve acontecesse. Pelo contrário, nos últimos meses suspenderam por cinco vezes a greve da categoria, e no processo do Corona vírus, enquanto o trabalhador se expunha trabalhando nas ruas, os sindicalistas fecharam o sindicato e tiraram férias, ficaram de quarentena.

Em São Paulo base da Federação Fantasma, tentaram suspender pela até o último minuto, a greve do dia 17, inclusive, deixando de realizar assembleia presencial, para realizar assembleia virtual, alegando buscar evitar aglomerações, quando os trabalhadores vão para o serviço, amontoados um em cima do outro nos ônibus, metros da cidade de São Paulo.

Mesmo com a manipulação da assembleia virtual (fantasma), os trabalhadores exigiram a greve, e a direção sindical do Sindicato de São Paulo, precisaram aprovar a greve.

Para terminar a greve, os sindicalistas do Bando dos Quatro, apostam na decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) para manter o acordo bianual, e com isso, todos voltam ao trabalho.

Como a greve não dá nenhuma pista de que diminuíra, e que a empresa irá negociar, é preciso radicalizar, fazer piquetes na unidades para parar os trabalhadores que ainda não aderiram a greve e também os trabalhadores terceirizados. É preciso que o movimento sindical ligado a Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios), convoque imediatamente um Conrep (Conselho de Representantes) em Brasília, para que o movimento organize a luta e o enfrentamento dos trabalhadores com o governo Bolsonaro, Tribunais de Justiça e os golpistas da direção dos Correios. Por um ato nacional em Brasília.

Também é necessário envolver outras categorias no apoio a campanha salarial dos Correios, visando unificar a luta a partir de setembro, como a categoria dos bancários e os petroleiros. Para defender os Correios da privatização, da entrega desse patrimônio do povo brasileiro é preciso ocupar os prédios da ECT, como forma de defender o patrimônio do trabalhador brasileiro. Greve com 100% de trabalhadores para fora das unidades dos Correios; contra a privatização dos Correios; pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas