Ecetistas em luta
Bolsonaro quer privatizar a ECT; TST quer acabar com a greve
40943123503_9ae5ae2d22_o (1)
Trabalhadores dos Correios estão em greve desde o dia 10. Foto: Jeso Carneiro/Flickr (CC BY-NC 2.0) |

Os trabalhadores dos Correios entraram em greve no último dia 10 por todo o País. Todos os 36 sindicatos votaram a favor da greve geral da categoria, contra a absurda retirada de direitos trabalhistas, a tentativa de privatização da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) e o governo ilegítimo de Jair Bolsonaro.

Como é de costume, o Judiciário – sempre a serviço dos patrões e governos da direita – está atacando a greve. Primeiro, proibindo 30% da categoria de participar da paralisação. Agora, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou o fim da greve até esta terça-feira (17).

Os trabalhadores dos Correios do Distrito Federal organizaram, ontem, uma manifestação em frente ao Ministério da Economia contra a tentativa do governo golpista de privatizar a ECT.

É importante que os trabalhadores dos Correios tenham a plena noção dos objetivos da greve, que devem ir além de pautas restritas à categoria. Porque trata-se de defender uma empresa pública cujo governo ilegítimo e de extrema-direita quer entregar de bandeja para seus financiadores capitalistas.

Mas para defender a ECT é preciso colocar abaixo o governo que está tentando destruí-la, por isso é fundamental que os trabalhadores dos Correios travem uma greve que lute pelo Fora Bolsonaro, e tenham o apoio dos demais setores da classe trabalhadora, que devem se juntar a eles e também entrar em greve contra o governo Bolsonaro, pela sua derrubada – uma vez que os petroleiros, eletricitários, bancários, trabalhadores de empresas públicas e privadas que estão perdendo todos os seus direitos, também estão sendo brutalmente atacados pela política desse governo e dos que o financiam.

Relacionadas