Salário atrasado na pandemia
A categoria denuncia que estão vulneráveis ao contágio, com 7% de trabalhadores já infectados e que vão se mobilizar para conquistar o direito básico de receber o salário em dia.
0d74d223ee3a35fa06e9977673d4e36a
Trabalhadores sem salários e em risco de contágio | Foto: reprodução
0d74d223ee3a35fa06e9977673d4e36a
Trabalhadores sem salários e em risco de contágio | Foto: reprodução

A greve de motoristas do transporte público de Sorocaba, que deve se iniciar às 16 horas desta quinta-feira (23), está mantida após não haver pagamento do chamado vale, adiantamento salarial, que deveria ter caído na conta dos trabalhadores no início dessa semana.

Segundo o sindicato, ainda é aguardado o pagamento que deve ser feito pelas empresas CONSOR e STU. “Não iremos tolerar mais atrasos e alertamos a população que, caso não ocorra o pagamento do vale, os trabalhadores irão iniciar protesto imediatamente”, denunciou o presidente interino do Sindicato dos Rodoviários, Adalberto de Souza Carvalho, Dadá.

Os trabalhadores e seu sindicato denúnciam ainda que a categoria está entre as com maior risco de contágio por Covid-19. Testes realizados após solicitação do Sindicato apontaram uma contaminação de praticamente 7% da categoria, ou, mais especificamente, dos 1403 trabalhadores testados, 98 tiveram resultado positivo para coronavírus.

Uma reunião entre Sindicato dos Rodoviários, Prefeitura e empresas de Sorocaba com a Urbes, ficou agendada para o dia 27 de julho, às 15h, na Urbes.

Relacionadas
Send this to a friend