Correios
Ocupar a empresa pelo fora Bolsonaro! Não à privatização dos Correios!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
correios
Medidas de força para freiar a privatização. | Arquivo.

Iniciada na última segunda-feira, dia 17, a greve dos Correios continua forte e deve se manter na semana que vem. Isso porque a direção da empresa se recusa a negociar com os trabalhadores e voltar atrás da tentativa criminosa de extinguir a maior parte dos direitos da categoria.

A direção da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), por meio de seu presidente bolsonarista, general Floriano Peixoto, colocou em marcha, de acordo com as exigências do governo Bolsonaro e dos capitalistas, a campanha para preparar o terreno para a privatização da empresa. Espalhou na imprensa golpista que os trabalhadores são privilegiados para justificar a demolição dos direitos da categoria.

O ataque é o maior já sofrido pelos trabalhadores dos Correios em todos os tempos. Das 79 cláusulas do Acordo Coletivo, a direção da empresa quer extinguir ou modificar 70, acabando com benefícios básicos como o vale cultura, o auxílio creche, diminuindo o vale alimentação e adicionais. Uma devastação.

Tudo isso porque o governo Bolsonaro já anunciou que vai entregar os Correios para os capitalistas e estes não querem pagar nem um centavo a mais para a categoria.

Isso sem contar que a privatização vai significa demissão de mais trabalhadores e terceirização, como já vem ocorrendo na categoria há alguns anos.

Para o povo brasileiro, a privatização significa a destruição de um dos maiores patrimônios construídos pela população. A ECT é a única empresa que consegue chegar em todos os mais de 5 mil municípios brasileiros, coisa que os capitalistas não farão, deixando boa parte do povo sem o direito a ter acesso ao serviço postal.

O ataque do governo Bolsonaro é muito duro e deve ser respondido pelos trabalhadores com medidas de força. É mentira o que a empresa divulgou, afirmando que a greve tem pouca adesão. É a velha mentira dos patrões para desmobilizar a greve. A mobilização, na realidade, é bem forte e a categoria sabe que terá que radicalizar para derrotar o governo Bolsonaro.

Por isso, é preciso não apenas ampliar a greve como realizar os piquetes para parar a produção, unificar com os terceirizados e ocupar os setores de trabalho. A força é a única linguagem entendida pelos patrões e por esse governo que faz de tudo para agradar os capitalistas e atacar os direitos dos trabalhadores. Em Araraquara os trabalhadores deram o exemplo e ocuparam uma agência, esse é o caminho!

Fora Bolsonaro, não à privatização dos Correios!

https://youtu.be/_6IXkZmS6DY

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas