El-Salvador
|

O deputado direitista, capitão do mato, Fernando Holliday do DEM e do MBL de São Paulo, propôs um projeto de lei que permite que mulheres com “propensão ao aborto ilegal” sejam internadas em clínicas psiquiátricas. Trata-se de mais uma ofensiva da extrema-direita fascista contra as mulheres.

De acordo com a lei, as mulheres poderiam ser presas e internadas somente por estarem propensas a praticarem o aborto. É a imposição do arbitrário do domínio do fato, da prisão sob suspeita, sobre as mulheres.

A lei não fala, no entanto, quem irá determinar que tal e qual mulher tem propensão a fazer o aborto. É claro que na prática esta tarefa ficará a cargo das instituições do estado burguês e cada vez mais dominado pela extrema-direita fascista.

Ou seja, quem irá determinar se uma mulher tem certa propensão ao aborto são os policiais militares, verdadeiros cachorros loucos, ou, como vem ocorrendo no país nos últimos tempos, os juízes, como Sérgio Moro, Bretas, ou promotores, como Dallagnol, verdadeiros carrascos de todos os direitos da população, fascistas de carteirinha e inimigos das mulheres e de todo o povo brasileiro.

O projeto de lei retira na prática qualquer liberdade das mulheres, estas ficarão sob o controle completo do estado, dominado pela extrema-direita. A medida soma-se a proposta que visa tornar crime o aborto em todos os casos, inclusive em casos de estupro. Esta é a política da extrema-direita de esmagamento por completo das mulheres, de toda a classe trabalhadora.

Contra ele é preciso opor uma gigantesca mobilização. É necessário mobilizar todos os setores explorados em defesa dos direitos das mulheres e de toda a população. É necessário colocar abaixo o regime golpista que se impõe sobre o país, e botar para correr todos os fascistas e golpistas.

 

Relacionadas