Grave erro: marcar festival em Porto Alegre no mesmo dia do ato em Brasília joga contra mobilização em defesa de Lula

Lula

O dia 15 de agosto vem sendo aguardado com  grande expectativa por um enorme contingente composto pelos mais diversos setores da sociedade nacional que se colocaram e que se colocam hoje contra o golpe de estado engendrado pelo imperialismo, a burguesia e o grande capital nacional.

Trata-se do dia nacional de luta marcado pelas forças progressistas, democráticas e de luta em defesa dos direitos democráticos mais elementares da população, duramente golpeados pelas medidas de ataque dos golpistas contra a maioria da população do país. O que se vê por todos os quatro cantos do país é uma gigantesca mobilização no sentido de fazer do 15 de agosto um dia marcado por grandes atos e movimento de massas que cubra o país de norte a sul e leste a oeste, convergindo para Brasília, onde ocorrerá o ato oficial de entrega do registro da candidatura do companheiro Luis Inácio Lula da Silva, Lula, a maior liderança operária e popular do país, que se encontra há mais de 100 (cem) dias encarcerado como preso político do imperialismo e do regime golpista. brasileiro.

Neste momento, todos os esforços, todas as energias, toda a concentração estão voltadas para fazer do dia 15 de agosto o momento em que a burguesia nacional, o imperialismo e todas as demais forças reacionárias e golpistas irão sentir o peso da força e da mobilização dos trabalhadores da cidade e do campo, da juventude, dos negros, das mulheres e de todos os demais setores oprimidos e explorados do país.

Há uma grande mobilização em curso através dos esforços que vêm sendo conjugados por todos aqueles que desejam dar um fim ao regime golpista e à política de fome e miséria da burguesia impostos ao país pelo imperialismo e seus representantes nacionais. A CUT, diversos sindicatos, partidos de esquerda, centenas de comitês  de luta contra o golpe espalhados por todos o país levam adiante neste momento um grande trabalho para convocar, organizar e deslocar centenas de milhares de ativistas para Brasília, pois somente através da ocupação maciça da cidade será possível derrotar os intentos do judiciário, da imprensa e das demais forças golpistas, que desejam, por antecipação e ao arrepio da lei, declarar o ex-presidente Lula inelegível. Ou seja, preparam mais um golpe contra a vontade soberana da maioria da população, que deseja ver Lula não só candidato, mas também como o próximo presidente da república.

Portanto todos os esforços devem estar dirigidos para fortalecer e fazer crescer a mobilização para que o dia 15 de agosto seja marcado como um dia nacional de mobilização e luta da maioria do povo brasileiro em defesa dos seus direitos democráticos, em oposição ao golpismo, que deseja confiscar da população o direito à livre manifestação.

Dessa forma, aparece como muito estranho que neste mesmo dia – 15 de agosto – esteja sendo organizado e chamado um ato denominado “Festival Lula Livre”, a se realizar na capital gaúcha, Porto Alegre. Não há outra palavra para definir tal iniciativa como uma explícita sabotagem ao dia de luta em Brasília, onde todas as forças que lutam contra o golpe estão concentradas para assegurar o registro da candidatura do ex-presidente. Qual o sentido de dispersar forças exatamente neste momento em que todas as energias e o peso da mobilização devem estar dirigidas para fortalecer as caravanas que se deslocarão à Brasilia? Não há qualquer sentido racional na realização deste “Festival” na mesma data em que está marcada a ocupação da capital do país.

Porto Alegre é a cidade do ex-ministro e ex-governador petista Tarso Genro, um dos articuladores do “Plano B”, que vem fazendo esforços no sentido de apresentar uma alternativa à candidatura de Lula, em aliança com setores abertamente burgueses e golpistas.

O evento conta inclusive com página no Facebook, revelando que não se trata de uma iniciativa de menor envergadura ou que esteja sendo chamado por algum setor isolado, como sugeriu um comentário na página do evento, dando conta de que se trata de uma iniciativa de “artistas locais”. Ainda que se possa admitir a ideia de se tratar de uma iniciativa menor e “bem intencionada”, o fato objetivo concreto é que o evento marcado para o mesmo dia do ato em Brasília se coloca como uma aberta sabotagem aos esforços de todo o conjunto da militância em todo o país. É preciso ficar absolutamente claro que o dia 15 de agosto é para o movimento de massas e para todas as forças antigolpistas do país, o dia “D” da luta contra o golpe.

Assim, todos os esforços, toda a energia e toda a concentração devem estar voltadas para fazer do dia 15 de agosto um dia que ficará registrado na história da luta de classes do país como o dia em que os golpistas, o imperialismo e seus representantes nacionais se curvaram diante da força, da energia, da luta e da determinação do povo brasileiro em marchar contra os golpistas, derrotando o golpe e sua política contrária aos interesses nacionais e de ataque à população pobre e explorada do país