Ministro quer negar auxilio
Política de contenção de gastos de governo Bolsonaro pretende não liberar auxilio por três meses
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Paulo guedes (1)
Ministro da Economia Paulo Guedes. Crédito: Brasil 247 |

Mesmo sabendo dos riscos, de levar o período mínimo de três messes de quarentena recomendada, pela organização mundial da Saúde (OMS) sem o devido auxílio financeiro para milhares de famílias no Brasil, o ministro golpista da economia Paulo Guedes admite a possibilidade de adiar essa renda emergencial para os trabalhadores brasileiros.

Em recente vídeo conferencia, nessa segunda feira dia 29, para a Confederação Nacional dos Municípios (CMN) o ministro afirma estar gostando do trabalho de Tereza Cristina (Ministra da Agricultura) e Tarcísio Gomes de Freitas (ministro da infra-estrutura ), sobre o trabalho dos colegas Guedes disse:  “estão fazendo belíssimo trabalho. Se a linha básica de alimentação, suprimento, remédio funcionar, pedir comida em casa. Se isso pelo menos funcionar, você estica um pouco”.

Depois, revela Guedes, em outro trecho, se possível segurar o beneficio de 1 a 2 messes prorrogando a 3. “Aguenta 1 ou 2 meses, isso funcionando você talvez aguente os três meses sem o colapso completo da economia”.

Fica claro em sua proposta a real intenção do governo Bolsonaro de ludibriar a população mais pobre em relação ao auxílio. A classe trabalhadora precisa cada vez mais reduzir suas confianças no estado Brasileiro, que quer somente garantir o lucro de bancos e empresas sacrificando milhares de pessoas. Somente a organização popular para contrapor e combater essa política de extermínio capitalista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas