Funcionários em xeque
Mais dinheiro saindo do bolso dos trabalhadores e indo para o dos banqueiros imperialistas. Fome e miséria contra o luxo e riqueza. Estamos voltando aos tempos das cavernas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
46501622555_2659a6af1e_c (1)
Jantar oferecido pelo Conselho de Empresários Brasil - Estados Unidos | Foto: Palácio do Planalto

Em evento virtual promovido pelo IDP (Instituto do Direito Público), Paulo Guedes disse que o governo vai economizar 300 bilhões em 10 anos com a reforma administrativa. O projeto não leva em consideração alterações que poderão ser feitas pelo congresso, mas considera as reposições em caso de aposentadorias em 60 ou 70%, e com salários reduzidos, conforme matéria do Infomoney

Os principais pontos do programa de reforma são o fim da estabilidade para os novos servidores público, exceto para alguns cargos considerados de Estado e que ainda serão definidos, como diplomatas e auditor da receita. Redução do salário inicial do cargo. Inclusão de contrato com prazo de experiência, exceto para o cargo de Estado. Fim das promoções automáticas por tempo de trabalho, férias superiores a 30 dias, adicionais de tempo de serviço, adicionais de substituição não efetiva e praticamente todos os adicionais de salário.

Considerando a participação dos funcionários públicos no total da população ocupada, segundo dados da ONU do final do ano passado, essa proporção no Brasil é de 12,1%, nos países de maior participação estão os EUA com 15,1%, a Suécia com 28,6%, a Dinamarca com 29,1% e Noruega com 30%. E em média os servidores públicos no país ganham 8% a mais que os da iniciativa privada em cargos similares, abaixo da média mundial de 21%.

De imediato, a análise da reforma revela a intenção de penalizar os trabalhadores dos escalões inferiores ao mesmo tempo que privilegia os do alto escalão como judiciário, legislativo e executivo, já que o Guedes considera que essa categoria ganha pouco com o salário de 39 mil e duzentos reais.

Outro ponto a ressaltar é que com os cortes de pessoal e salários, que são cortes de gastos, para as estatais deve favorecer o processo de privatização.

Lembrando que o estado brasileiro gasta aproximadamente 50% da receita com pagamentos da dívida e juros, e são os bancos os beneficiários, e esses pagamentos não são nem questionados. 

Já foram aprovadas outras tantas reformas contra os trabalhadores, sempre com a justificativa de economizar. A da previdência, e trabalhista, desoneração fiscal para as empresas, e não se vê melhoras nas contas públicas e nem sinal de melhoria da economia.

Agora vem a reforma administrativa com o mesmo discurso, reduzir as despesas do estado. Qual o propósito desse ataque ao estado? Se fosse o de melhorar, já deveria aparecer algum sinal de melhora, mas ao contrário, só se assiste a piora por todo lugar.

Não estamos diante de políticas que tem por objetivo desenvolver a economia, mas sim de aniquilação dos direitos sociais, emprego e renda dos trabalhadores. Na luta de classes, quando estão em confronto direto, se um lado ganha o outro está perdendo, como no cabo de guerra.

Dado o tamanho da crise em que estamos metidos, a luta de classe está bastante acirrada, e trata-se de avançar nos direitos da classe trabalhadora, tirar tudo o que puder, para aumentar os lucros e renda da classe opressora, os capitalistas.

Esse estado de coisa revela que o sistema encontra-se em fase terminal e que não é mais capaz de promover desenvolvimento, mas vai, a qualquer custo, avançar nos direitos e rendas da classe trabalhadora, inclusive do setor estatal, promovendo o maior roubo da história do país contra os trabalhadores. Se ela não for capaz de lutar e reverter a situação, será seu fim, vai voltar aos padrões de renda do início da revolução industrial.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas