Siga o DCO nas redes sociais

Entrega os bancos estatais
Governo golpista Bolsonaro abre processo de privatização da Caixa
Golpistas da direção da Caixa Econômica abrem processo de entrega das subsidiárias do banco para meia dúzia de banqueiros privados parasitas da economia nacional
Entrega os bancos estatais
Governo golpista Bolsonaro abre processo de privatização da Caixa
Golpistas da direção da Caixa Econômica abrem processo de entrega das subsidiárias do banco para meia dúzia de banqueiros privados parasitas da economia nacional
Caixa 100% publica
Caixa 100% publica

A direção da Caixa Econômica Federal divulgou no último dia 08 de janeiro 2020, através de Fato Relevante, um comunicado informando “a aprovação, por seu Conselho Diretor, da formação e contratação de Sindicato de Bancos para avaliar potencial oferta pública de ações da Caixa Seguridade”. (site Caixa seguridade 08/01/2020)

A determinação do governo golpista, além de entregar parte do patrimônio do povo brasileiro na mãos de meia dúzia de banqueiros privados parasitas, abre o processo de privatização do único banco brasileiro 100% público.

A Caixa seguridade é uma companhia controlada pela Caixa Econômica Federal na área de seguridade com uma ampla variedade de apólices de vida e não vida, seguro habitacional, automóveis, planos de previdência privada, títulos de capitalização e consócios; obteve, somente nos nove meses de 2019, um lucro líquido de mais de R$ 1,5 bilhão e, parte desses recursos são utilizados em políticas sociais, tais como construção de casas populares, financiamento em educação para a população de baixa renda, etc.

A transação financeira envolvendo a subsidiária da Caixa é mais uma revelação do que está por trás do golpe de Estado no país, com o envolvimento direto dos grandes banqueiros, capitalistas e o imperialismo. 

O servilismo do governo ilegítimo Bolsonaro aos banqueiros e, em particular o norte-americano é total.  Entregou, sob a liderança do banco de investimento estadunidense, Morgan Stanley, a um consócio de 10 bancos, que coordenará a oferta inicial de ações, denominada IPO (oferta pública inicial em que as ações de uma empresa são vendidas ao público em geral numa bolsa de valores pela primeira vez, processo pelo qual uma empresa se torna empresa de capital aberto), a venda da Seguridade Caixa. Nesse consócio estão incluídos o Bradesco BBI, Itaú BBA, Banco Plural (lembrando que o atual presidente da Caixa, Pedro Guimarães é sócio do banco de investimento Brasil Plural e já foi funcionário de Paulo Guedes no BTG Pactual e hoje ministro do Ministério da Economia), Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, Credit Suisse, Santander Brasil, Bank of America e a Caixa.

A venda da subsidiária na área de seguridade da Caixa é parte da política entreguista do patrimônio do povo brasileiro em benefício de meia dúzia de banqueiros que vivem, exclusivamente, em parasitar a economia nacional, além disso, abre o caminho na política de privatização do governo golpistas. Já por várias vezes o presidente do banco estatal, Pedro Guimarães, declarou a intenção do governo ilegítimo de Bolsonaro de privatizar o único banco público do país. O office boy do Paulo Guedes à frente da Caixa tenta disfarçar ao afirmar que abrir o capital não é privatização.

Tal afirmativa é apenas uma cortina de fumaça que a direita golpista tenta jogar nos olhos dos trabalhadores e da população, quando todo mundo sabe que o banco está na mira dos neoliberais, capachos dos capitalistas estrangeiros, principalmente o norte-americano, e a abertura do capital Caixa Seguridade é parte da política de beneficiar meia dúzia de parasitas especuladores nas bolsas de valores de São Paulo e de Nova York, e abre caminha para a privatização da própria Caixa Federal.