Inimigos dos trabalhadores
A política do desempregro em massa e da redução salarial, ao contrário do que o governo e a imprensa capitalista afirma, não são opostas, mas complementares.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Jair-Bolsonaro-Pronunciamento-Teto-de-gastos-otxap28o5vx3wjwi90qyw2jfmry825t8egsbvmnuhs
Bolsonaro em coletiva de imprensa com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia | Foto: Diário Causa Operária

O governo de Jair Bolsonaro anúnciou que deverá prorrogar por ao menos 60 dias a medida provisória que permitiu a redução de jornada de salários e suspenção de contratos de trabalho aprovada no início da pandemia do novo coronavírus. Bolsonaro deve assinar um novo decreto estendendo pela segunda vez a MP 936 que atingiu cerca de 9,6 milhões de brasileiros que tiveram o contrato de trabalho suspenso ou que tiveram redução da jornada de trabalho e do salário de 25%, 50% ou 75%.

Tal medida provisória foi assinada por Bolsonaro com a alegação de que tal medida teria o objetivo de criar condições para manutenção dos empregos. Algo que não se verifivou na prática, pois o governo não tomou nenhuma medida para impedir as demissões. Foram demitidas mais de 8 milhões de pessoas durante a pandemia e já são mais de 41 milhões de brasileiros sem emprego. Isso, levando-se em consideração que o desemprego já era grave antes do início da pandemia.

A redução salarial proporcional à redução da jornada de trabalho nada mais é do que uma medida para transferir a renda do trabalhador e da União para o bolso dos capitalistas. Ou seja, o trabalhador perde triplamente: tem uma redução real na sua renda, o governo transfere dinheiro público para os empresários (que deveria ser utilizado para serviços públicos como saúde, educação, para garantir a renda de todos que precisam etc) e ainda pode ter o contrato de trabalho de trabalho suspenso ou mesmo demitido. Para piorar, grande parte dos trabalhadores que tiveram redução salarial não conseguiram receber nem a parte prometida pelo governo para compensar parte da redução de salário.

A prorrogação da medida provisória 936 ocorre porque o governo Bolsonaro se preocupa apenas e exclusivamente com os patrões. A política do desemprego em massa é uma medida consciente adotada por governos neoliberais para forçar os trabalhadores a aceitarem no desespero salários miseráveis e assim aumentar o lucro dos grandes empresários e banqueiros que vivem do trabalho alheio. A fome e a miséria é uma necessidade para esses parasitas continuem “sobre as costas” do povo brasileiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas