Governo Bolsonaro
Os ministros Ernesto Araújo e Damares Alves assinaram uma declaração antiaborto e que não reconhece as famílias homoafetivas como família.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
A ministra da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves,  participa do lançamento da campanha para detecção precoce do câncer de mama
Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, uma ativista antiaborto. | Reprodução.

O governo Jair Bolsonaro, representado pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Damares (Mulher, Família e Direitos Humanos), assinou uma declaração política contra o aborto e em defesa da família baseada unicamente no modelo de casal heterossexual.

O texto foi apresentado na tarde desta quinta-feira (22) pela administração Donald Trump. Países com governos conservadores, como Indonésia, Egito, Hungria e Uganda também assinaram a declaração. O texto não possui efeito vinculante e nem é um tratado, mas indica qual a política que o governo Jair Bolsonaro defende.

Críticos denunciam que a política externa de Jair Bolsonaro também se direciona a atacar o abordo legal, três situações em que é permitido abortar. O projeto do governo é proibir o aborto em todas as ocasiões.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas