Coronavírus
As mortes de mais de 64 mil pessoas, apenas em dados oficiais, escancara que os governadores, classificados como opositores, em nada se diferenciam da política bolsonarista
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Presidente eleito, Jair Bolsonaro, durante encontro com os governdores eleitos, no CICB. Brasilia, 14-11-208. Foto: Sérgio Lima/Poder 360
Genocidas, presidente e governadores golpistas reunidos no fórum de governadores em 14/11/18 | Foto: Sérgio Lima/ Poder360

Desde que o Brasil enfrenta a pandemia de coronavírus a polarização se intensificou. Opôs de um lado o povo e de outro os capitalistas. Para confundir a população e reciclar a direita tradicional, a imprensa burguesa lançou a tese de que os governadores golpistas (como Doria e Witzel, por exemplo) seriam os opositores de Bolsonaro. No entanto, os mais de 64 mil mortos no País, neste momento, provam que os governadores têm a mesma política de Bolsonaro.

Isso pode ser constatado por diversos fatores. Um deles é pela quarentena, que em todos os estados foi extremamente parcial. Só um setor minoritário da pequena burguesa e a burguesia tiveram direito ao isolamento social. A esmagadora maioria dos trabalhadores teve que continuar trabalhando sem qualquer mínima condição de proteção individual.

Outro dado são as questões já anteriores à pandemia, que foram intensificadas por ela. É o caso do desemprego, que saltou e fez com que pela primeira vez na história do País haja mais desempregados do que empregados. Quem manteve o emprego teve o salário reduzido, quem não perdeu o emprego, ficou sem qualquer forma de sustento e a margem de manobra, que já era muito pequena, tornou-se impossível, veja-se o caso dos entregadores de aplicativos, que explodiu no País com uma forte greve no primeiro dia do mês.

Nesta conjuntura, a imprensa burguesa procurou conduzir a oposição a Bolsonaro promovendo os governadores golpistas, sobretudo Doria e Witzel, como grandes opositores do governo federal, sendo chefes de estado que estariam preocupados com o isolamento social, as medidas de saúde baseadas em orientações científicas. De uma hora para outra, os fascistas que jogam água em moradores de rua em pleno inverno e dizem que a Polícia deve atirar na cabeça da população passavam a ser os grandes estadistas, preocupados com o povo.

Obviamente que era uma farsa grotesca. Uma tentativa de reciclar a direita tradicional, que foi a principal responsável pelo golpe de Estado e a subida do próprio Bolsonaro através da fraude eleitoral de 2018. Vale lembrar do “BolsoDoria”.

Neste momento, todos esses governadores adotam a mesma política de Bolsonaro, destruíram qualquer tipo de quarentenas e promoveram uma abertura geral da economia, ignorando todos os riscos e a rápida escalada do número de casos.

Ou seja, os governadores “democráticos”, “científicos” são tão genocidas quanto Bolsonaro. E não há, da parte de ninguém, uma crítica, como a que houve quando Bolsonaro disse que era necessário suspender o isolamento social. Logo, a crítica é destinada apenas a Bolsonaro como uma forma de manipulação da população, até porque esses setores são contra o impeachment do Bolsonaro.

Por isso, as organizações sindicais, os partidos de esquerda devem denunciar energicamente a suspensão do isolamento social, que não obedece a nenhum critério de saúde, mas apenas ao dos interesses dos grandes capitalistas, que estes governantes representam. E logicamente, que a situação que já é catastrófica no País sobre a questão do coronavírus – um dos piores no mundo, sendo o 2º lugar com mais casos da pandemia, atrás apenas dos EUA – vai se agravar exponencialmente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas