Governadores petistas se juntam a bolsonaristas latifundiários para apoiar projeto de repressão de Moro
rui
Governadores petistas se juntam a bolsonaristas latifundiários para apoiar projeto de repressão de Moro
rui

O governo golpista atual através de Sérgio Moro propôs um ridículo pacote anti-crime que na prática é apenas um conjunto de medidas criminalizadoras. São um dos grandes projetos anti-povo do inicial governo bolsonarista que visa aumentar a repressão contra a classe trabalhadora brasileira.

Uma série de especialistas apontam o desastre que representa a criação desse “pacote” como aumento da população carcerária e também a redução de direitos durante o processo penal, a mudança reduz o princípio da presunção da inocência, individualização da pena e o devido processo penal. Pacote esse que abrirá também maior margem para subjetividade judicial.

Contra a orientação nacional do próprio Partido dos Trabalhadores governadores Petistas vem adotando uma série de posturas bolsonaristas após a eleição de 2018, se já não bastasse lei anti-terrorismo. A típica estratégia de sobrevivência representativa oportunista fica clara.

Os governadores Rui Costa (Bahia) e Camilo Santa (Ceará) vem atuando de forma vergonhosa golpista no que diz respeito a uma série de questões. Camilo Santana é governador reeleito pelo PT, tem grande estima pela política cirista. Ele chegou a apoiar o candidato do PDT, Roberto Cláudio, para a prefeitura de Fortaleza em 2016 contrariando a orientação do Próprio Partido.

O político apoiou a reeleição de Rodrigo Maia da Presidência na Câmara Federal dizendo que o mesmo é aberto ao diálogo. Ou seja, o mesmo homem de confiança da Burguesia para implantar a Reforma da Previdência é aceitável para o governador do Ceará. Mais uma vez contrariando das deliberações do próprio Partido Trabalhadores ao qual é filiado sem que o próprio Partido reaja a esses absurdos.

Em declaração após as eleições Camilo Santana propôs em entrevista uma política sem ódio que unifique o país novamente. O que quer dizer ignorar toda a violência histórica e presente que a ala bolsonarista representa e fazer uma política oportunista de conciliação. E ignora o fato que Bolsonaro e sua corja não mudou nada sobre o seu discurso de ataque a população em geral. Esse é o mesmo político que apoia e elogia esse esdrúxulo pacote anti-crime.