Cerco do imperialismo
Em pleno período de eleições, os ataques ocorrem tanto pela justiça burguesa boliviana, quanto por parte da extrema-direita nas ruas.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
MAS MINERO
Campanha eleitoral do MAS pelas ruas bolivianas | Foto: Reprodução

Avançam na Bolívia os ataques da direita boliviana ao Movimiento Al Socialismo, o MAS, do candidato Luis Arce, que é o candidato que mais tenha pontuado nas pesquisas eleitorais no país andino. Em pleno período de eleições, os ataques ocorrem tanto pela justiça burguesa boliviana, quanto por parte da extrema-direita nas ruas. 

O Tribunal Departamental de Justiça  (TDJ) de La Paz, admitiu a ação de cumprimento que podia obrigar ao TSE a anular a sigla do MAS pela difusão de uma pesquisa no mês de julho deste ano. Luis Arce deu uma declaração que essas ações demonstram o desespero por parte da direita de não conseguirem emplacar uma candidatura que suplantasse a popularidade que o Movimiento Al Socialismo de Evo Morales têm na Bolívia. Visto que Carlos mesa o 2º colocado talvez não chegue ao segundo turno, e a atual presidenta golpista Jeanine Añez desistiu da candidatura nestas eleições.

Não é a primeira tentativa de cassar o partido de Evo por parte da justiça burguesa local. Evo já foi proibido de participar destas eleições como enador, e vem sofrendo ataques de denúncias de um suposto envolvimento com menores de idade – fatos que, incrivelmente, somente aparecem em períodos de eleições. Luis Arce, o Lucho, líder nas pesquisas para presidência, também sofreu denúncias de um suposto envolvimento com corrupção.     

Denuncia feitas pelo alto comissariado da ONU para os Direitos Humanos apontam pelo menos 9 casos de violência na campanha eleitoral que está acontecendo neste momento. Destaque para a ação de grupos de choque do candidato da extrema-direita Fernando Camacho, de Santa Cruz de La Sierra, que além de violenta também é racista.

O MAS segue confiante de que as eleições eleitorais resolverão os problemas do povo boliviano e a contenda que ocorre no país desde o golpe que destituiu Evo Morales. Mesmo que vençam as eleições – coisa que a burguesia e o imperialismo pretendem não deixar que aconteça -, nada garante que o MAS tome posse e governe tranquilamente. O que pode acontecer é desencadear de vez o desenvolvimento do golpe para um avanço de militares no pode e a implantação de uma ditadura.

É necessário mobilizar todo o povo da Bolívia nas ruas nestas eleições não somente a votar, mas garantir que a vontade expressa pela população boliviana aconteça não só nas urnas, mas, principalmente nas ruas, para assim criar um verdadeiro bloco popular de combate ao golpe de estado que avança pelo país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas