Golpistas querem que Lula morra: mobilizar imediatamente pela libertação do ex-presidente

BRAZIL-POLITICS-CORRUPTION-LULA DA SILVA

Lula está na cadeia há 235 dias, em decorrência do golpe de estado. Os golpistas, além de destituir o governo do PT, através do impeachment fraudulento de Dilma Rousseff em 2016, também foram obrigados a prender seu principal líder para que consolidassem a fraude das eleições de 2018.

No entanto, o golpe, apesar de se manter vivo, e ter obtido uma vitória parcial com a eleição fraudada do direitista Jair Bolsonaro para presidência da República, continua instável, sem o apoio popular necessário para impor as vontades dos grandes capitalistas nacionais e internacionais contra a população trabalhadora do país.

Nesse sentido, a prisão de Lula é peça fundamental para que os golpistas se mantenham no poder, atacando o povo. Como a situação pode sair do controle a qualquer momento e a população brasileira tende a sair às ruas contra o golpe, é preciso que essa luta não canalize em torno de uma liderança opositora ao golpe, que se expressa na figura de Lula.

A pressão contra as arbitrariedades cometidas pelos golpistas contra os direitos democráticos de Lula não se reduzem ao território brasileiro, mas a vários países no Mundo.

Os golpistas, com medo das consequências de uma derrota, continuam as perseguição ao velho líder petista de 73 anos. A pena atual de Lula é quase que perpétua, pois o ex-presidente só poderia sair da prisão com com mais ou menos 85 anos, idade bem à cima da expectativa de vida do brasileiro normal. Sem falar que diversos processos ainda correm contra o ex-presidente Lula, podendo aumentar ainda mais a pena.

Por isso, a presidente do PT, Gleisi Hoffman, e o líder do PT no Congresso, o deputado Paulo Pimenta, usaram essa semana o parlamento brasileiro para denunciar as arbitrariedades dos golpistas contra Lula. Querem deixá-lo morrer na cadeia. Pois fora da cadeia, Lula seria obrigado pela base que lhe sustenta, os operários metalúrgicos, a lutar contra toda a política dos golpistas, caso contrário ocorreria um suicídio político.

E a burguesia sabe disso. Lula, por mais alianças e capitulações que tenha feito, teve de liderar intensas greves de metalúrgicos que no final das contas acabaram derrubando a ditadura militar. Da mesma forma, os intensos ataques dos golpistas colocam em Lula a expressão de todo um movimento de luta contra o golpe. Lula representa no Brasil a luta contra o golpe e contra toda sua política de ataque aos direitos dos trabalhadores e das riquezas do país.

Diante da ameaça real de morte contra Lula, uma vez que o golpe não consegue se fechar sem eliminar a maior liderança da esquerda nacional, é necessária uma mobilização gigantesca no Brasil e no Mundo exigindo a imediata liberdade de Lula.

Levantar a bandeira de liberdade para Lula é mobilizar o povo brasileiro contra o golpe e todos os golpistas. Por isso devemos ir para às ruas gritar: “Fora Bolsonaro e todos os golpistas! Liberdade para Lula!”