Golpistas prorrogam intervenção no fundo de previdência dos Correios para favorecer bancos

O governo golpista de Michel Temer anunciou naúltima segunda (dia 2), no  DOU (Diário Oficial da União) a prorrogação por mais seis meses da intervenção da Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar)  no fundo de pensão complementar dos Correios, o Postalis.

O Postalis sofreu um rombo de mais de R$ 5 bilhões, nos últimos anos, sendo boa parte desse rombo devido a investimentos financeiros avalizados pela assessoria privada contratada do Banco BNY Mellon, para auxiliar os diretores do Postalis.

No entanto a intervenção da Previc no Fundo, conjuntamente com a Polícia Federal sequer cogita fazer uma intervenção no Banco americano, que pelas evidências seria o grande responsável pelo mal investimentos do dinheiro dos contribuintes do fundo de pensão dos Correios.

Na verdade, nesse momento de golpe, as intervenções realizadas pela Polícia Federal nas empresas privadas e públicas tem tido o resultado apenas de destruir os empresários e negócios nacionais, favorecendo os grandes capitalistas estrangeiros, principalmente capitalistas dos EUA.

Nos Correios não é diferente, longe dos interventores prometerem devolver o dinheiro roubado, os interventores trabalham para desestruturar o controle do fundo pelos trabalhadores e transformá-lo em mercadoria barata para ser repassada aos grandes fundo de pensão ligadas aos grandes bancos internacionais.

Diante da evidente interferência externa no interior dos Correios e em seus negócios e patrimônio, os trabalhadores dos Correios e a população brasileira devem exigir a retirada dos interventores dessas empresas nacionais, estatais, a fim de que os problemas dessas empresas sejam resolvidas pelos legítimos interessados, os trabalhadores brasileiros.