Golpistas organizam operação de guerra contra população em favelas do RJ

militares alemão

Na madrugada desta segunda-feira, dia 20, o Exército, as Policias Federal, Civil e Militar realizaram uma operação conjunta nas favelas do Alemão, da Penha e da Maré. A ação foi uma verdadeira operação de guerra contra o povo trabalhador que mora nessas regiões do Rio de Janeiro e contou com a presença de um massivo contingente de agentes de repressão. As informações oficiais indicam a operação contou com pelo menos 4,2 mil militares das forças armadas, 70 policias civis além de dezenas de policias militares, mas que não tiveram os números divulgados oficialmente.

A operação de guerra armada pelos militares contra o povo das favelas marca um avanço da ofensiva dos golpistas contra o povo e a classe trabalhadora brasileira, o que fica evidente pelo uso intensivo de aparatos de guerra durante a ação, que contou com blindados e aeronaves. Utilizando o pretexto de combate ao crime organizado e ao tráfico de drogas, a operação atropelou todos os direitos democráticos da população que mora nas favelas e realizou, de forma totalmente arbitrária, a revista de veículos e de pessoas além da checagem de antecedentes criminais.

A repressão policial, agora reforçada pelo uso das forças armadas, vem aumentando quantitativa e qualitativamente no Brasil desde o Golpe de Estado que destituiu ilegalmente a presidenta Dilma Rousseff (PT), ainda em 2016. O Golpe de Estado colocou no poder um governo extremamente antipopular que, para se manter, ataca violentamente a classe operária brasileira e não hesita em utilizar os militares contra o próprio povo. A intervenção militar no Rio de Janeiro, decretada pelo governo golpista de Michel Temer, usa a desculpa esfarrapada de combate ao crime para reprimir de maneira geral o conjunto da população pobre e garantir a manutenção dos interesses da burguesia e do imperialismo.

É importante destacar que a operação militar desta madrugada da sequencia para as ações que os órgãos de repressão da burguesia vem realizando no Rio de Janeiro e de no país inteiro de forma geral. O principal local atingido tem sido o complexo do Alemão, que foi alvo de operações na ultima sexta-feira (17) e domingo (18). É importante que os partidos, movimentos populares e o conjunto da classe trabalhadora denunciem o avanço da repressão e do fechamento ditatorial do regime que vem sendo levado adiante pelos golpistas e que pode evoluir para uma ditadura militar de forma aberta casos direita golpista não consiga impor “sua” solução para a crise no Brasil, ou seja, a vontade do imperialismo norte-americano.

Por isso, é cada vez mais necessário combater o regime de exceção implantado pelos golpistas no Brasil, e isso passa necessariamente pela luta por liberdade para o ex-presidente Lula e todos os presos políticos e a denuncia permanente do avanço do Golpe e da direita no Brasil.