Golpistas matam mais dois na Nicarágua

protesto nicaragua

Da redação – No último sábado, 30 de julho, mais 2 mortos e 11 feridos se somam aos quase 30, vítimas de tiros nas manifestações da Nicarágua. Os atos populares surgiram a partir da proposição da reforma previdenciária exigida pelo FMI ao governo de Daniel Ortega. Dentro dessa convulsão popular, infiltram-se grupos financiados pelos EUA para incitar palavras de ordem golpistas. Como no Brasil, o governo esquerdista conciliador de Ortega sofre forte pressão golpista por parte do imperialismo.  

Sobre as mortes,  o secretário da Comissão Permanente de Direitos Humanos (CPDH), Marco Carmona, declara: “Há pouco morreu um jovem de 23 anos (…) e temos 11 pessoas feridas, entre elas uma menina que levou um tiro de raspão na cabeça”.

A outra vítima fatal é um homem que ajudava estudantes entrincheirados na Universidade Nacional Autônoma da Nicarágua (UNAN), onde uma barricada foi atacada a tiros.

A imprensa burguesa usa a violência como outra arma para atacar Ortega, por isso, é lógico o entendimento de que as forças policiais tradicionalmente burguesas sejam as responsáveis mais indicadas para o cargo dessa repressão que dá força ao discurso golpista.