Golpistas inimigos da cultura cortam verbas para aumentar a repressão

26375B8A-F112-4B06-9F39-36E35836CC33

Após ser anunciado pelo golpista Michel Temer que a verba destinada à cultura será cortada, o ministro golpista da Cultura, Sérgio Sá Leitão, criticou o próprio governo, dizendo que o orçamento “não deve se dar em detrimento da cultura”. Sá Leitão, no entanto, negou que deixaria o cargo.

A decisão do governo diminuiu de 3 para 0,5% o repasse das loterias para o Ministério da Cultura. Essa decisão é uma consequência da sanção pelo governo golpista da lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública. As verbas destinadas ao SUSP, que será de responsabilidade do Ministério da Segurança Pública, virá justamente da loteria federal. Outro ministério que foi prejudicado foi o do Esporte, que também depende de uma porcentagem da loteria.

A criação do SUSP mostra que o sentido do golpe é fortalecer a repressão contra o povo e aumentar o poder dos militares e prepara o terreno para uma eventual e real necessidade de intervenção militar.

O descaso com a cultura não é novidade para o governo golpista de Temer. O primeiro ataque do golpista, assim que chegou ao poder, foi extinguir o Ministério da Cultura. Foi obrigado a voltar atrás depois de uma dura resistência popular e dos setores intelectuais, artistas e trabalhadores da cultura. Desde então, a existência do ministério é praticamente uma formalidade e os investimentos em cultura no País diminuíram drasticamente.

O golpe e a direita são inimigos da cultura. Preferem investir em repressão contra o povo e não querem desenvolver a cultura do País justamente para manter o povo escravizado.