Rio em colapso na saúde
Os golpistas no Brasil, a burguesia,  que colocou Crivella e Witzel no Rio, e agora Eduardo Paes, tanto fizeram que acabaram conseguindo sucatear o SUS que está a beira do colapso
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
rio.colapso
Leitos improvisados para quem aguarda vaga na enfermaria ou UTI. | Foto: Jornal do Brasil.

O Rio de Janeiro alcançou o número de 23.151 óbitos e 371.376 casos de Covid-19. Como consequência, o sistema está dando sinais de colapsar: na fila, estão, 472 infectadas esperando um leito, dessas, 252 aguardam leitos em UTI, e não estão tendo o tratamento que necessitam.

Segundo o último informe sobre o sistema de saúde da cidade do Rio de Janeiro, não há mais leitos disponíveis em UTIs para pacientes com coronavírus. No total, a Prefeitura mantém  288 leitos para casos graves, e não nenhum deles disponível. Restam, entretanto, alguns pouquíssimos leitos em unidades do estado ou federais, mesmo assim, os números, computando esses, denotam o estrangulamento do sistema,  a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 92% e nos leitos de enfermaria, de 87%.

A população reage requerendo, na justiça, a obrigatoriedade do poder público fornecer leitos, e melhorar a assistência que tem disponibilizado através da rede pública. E o município responde com uma promessa de 170 leitos de enfermaria, 50 leitos de UTI, e a volta do hospital de campanha, o que não é para já, ou seja, muita gente vai morrer por falta de tratamento adequado.

Foi o caso de Dilma Miranda, de 61 anos,  gravemente tomada pela Covid, e, sem leito de UTI, onde estava no Hospital Federal do Andaraí, na Zona Norte, morreu sem receber o tratamento adequado. Embora a filha tivesse recorrido à justiça e conseguido uma ordem para acolhê-la, não chegou a tempo.Segundo a filha, Dilma não aguentou e teve uma parada cardíaca antes de chegar na vaga conquistada.

Esse é o retrato de uma administração que não se preocupa  com a saúde do povo, mesmo depois de já tanto tempo enfrentando a pandemia, a tendência deveria ser a melhora e não a piora. Devíamos ter, à medida que o tempo fosse passando, uma resposta cada vez mais precisa contra o avanço da pandemia, e, em hipótese alguma, a piora. 

Seria coerente raciocinar assim, não fosse o conhecimento de perto que temos tido da política fascista à frente dessa tarefa, e que, longe de se preocupar com a população e de como o sistema de saúde vai ter que trabalhar para assistir a todos, ela priorizou o desejo pelo lucro dos capitalistas, abrindo a economia, jogando o povo na rua, nas escolas, nos bares, nos campos de futebol, e para todo lado, para consumir e gastar dinheiro enchendo os bolsos desses sanguinários, e deixando de lado os preparativos, tais como hospitais e leitos que hoje acabou faltando, medicamentos, laboratórios e testes para todos, e etc. A consequência foi a piora do que já estava muito ruim. Houve mais disseminação e morte, e continua a ter. A falta de investimento na saúde está fazendo com que as pessoas morram nos hospitais, nas filas de espera de um leito. E essa política precisa acabar.  

Gente que financiou o golpe de Estado no Brasil, a burguesia,  que colocou Crivella e Witzel no Rio, e agora Eduardo Paes, tanto fez que acabaram conseguindo, como em muitas cidades do Brasil, também no Rio, sucatear o SUS, objetivando a sua privatização e a entrega ao mercado, colocando os interesses da população de lado, e deixando ela à sua própria sorte: que quer dizer abandonada para morrer.

A alternativa do povo está na luta por essas condições. A luta por hospitais, testes, leitos, UTIs, além de profissionais para que o trabalho seja realizado, etc. Mas, para que isso ocorra, deve-se reunir em comitês de bairros, e se organizar para confrontar o poder público, e mostrar que unidos, podemos conseguir a assistência necessária para que já nos bairro, o combate à pandemia seja feito, com álcool em gel para todos, máscaras, água limpa para quem não tem, e tudo o mais necessário para controle da doença. 

Contudo, uma política como essa, onde não interessa o lucro e sim as pessoas, não tem consonância com a direita que conduz a cidade. Dessa forma, o povo precisa derrotar a administração genocida e derrubá-la, pois só assim, vamos conseguir salvar a nossa pele.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas