Golpistas estão querendo liquidar com bônus dos professores

Mid section of a businessman with pockets pulled out

No começo de março foi anunciado que o bônus seria pago aos professores como de costume dia 30 de março, porém não foi o que ocorreu. O bônus por “mérito” não tem data para ser pago como conforme foi anunciado ontem pela imprensa golpista.

O bônus é pago sobre a nota do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo) que está relacionado ao resultado do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) que já saiu faz um mês. O bônus é pago às escolas que atingem as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (IDESP) por meio da aplicação da prova SARESP. O bônus desde que foi criado foi reduzido a menos da metade, esse ano nem se sabe se será pago.

O bônus sempre foi um golpe contra a categoria, pois uma parcela grande do professorado não recebe, e o dinheiro é parte do que foi roubado de todos. Enquanto o alto escalão da Secretaria de Educação, Diretoria de Ensino e diretores das escolas recebe valores elevados a maior parte da categoria fica com migalhas ao invés de um reajuste salarial digno.

Pagar bem o alto escalão é a forma encontrada pelo governo de comprar os que comandam e assediam os professores a não lutarem contra a destruição da educação pública. Nas escolas, os professores são coagidos pelos diretores e coordenadores a melhorarem os índices de avaliação, ludibriando os trabalhadores com o mentiroso bônus.

A direita golpista do PSDB não pretende investir e melhorar a educação, mas privatizá-la, entregar um direito da população aos especuladores capitalistas. A destruição da educação é proposital, levada adiante pelos que roubam merenda das crianças por meio de contratos fraudulentos. Estes aplicaram um golpe de Estado e, além disso, querem destruir todas as formas de organização da classe trabalhadora.