Golpistas enviam medida provisória que ataca renegociação de dívidas da agricultura familiar sem mexer com dívidas do latifúndio

temer_agri

O governo golpista continua seus ataques aos trabalhadores do campo. Nesta terça-feira encaminhou ao Congresso Nacional medida provisória que anula a renegociação de dívidas rurais oriundas de financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados (Prodecer) e do Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária (Procera).
A Medida Provisória (MP) nº 842/18 anulou cinco artigos (28 ao 32) da Lei 13.606/18 que beneficiavam os pequenos agricultores nas renegociações dos créditos rurais.

A medida foi encaminhada nesta terça-feira e precisa ser votada em plenário, e caso aprovada é um tremendo ataque aos pequenos agricultores, principalmente oriundos de projetos de assentamentos rurais através do processo de reforma agrária.

A MP deverá ser mais um passo na destruição das pequenas propriedades no país, num momento de aumento exponencial da pobreza e do desemprego. Essa medida somada aos ataques anteriores, como os cortes em mais de 90% na assistência técnica de assentamentos, redução drásticas nos programas de aquisição de alimentos (PAA) e alimentação escolar (PNAE), destruição do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e muitos outros ataques refletem uma política de expulsar essas famílias do campo para serem incorporados como trabalhadores em latifúndios.

Na medida provisória, os golpistas não mexem nas dívidas que possuem as grandes propriedades e latifundiários que tomaram conta do país. É a política de terra arrasada colocada em marcha após o golpe de estado em 2016. Um grande projeto para transformar o país novamente em uma colônia de países imperialistas e entregando as terras para empresas estrangeiras.