Golpistas dos Correios processam diretor sindical por falar a verdade
fabio xavier 4
Golpistas dos Correios processam diretor sindical por falar a verdade
fabio xavier 4

No dia 10 de agosto de 2017, ocorreu uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Campinas para debater com a comunidade de Campinas a privatização dos Correios, mostrando o malefício que a destruição dessa empresa vai trazer ao país.

O sindicato dos trabalhadores dos Correios de Campinas e região foi convocado e lá esteve para expor sua posição sobre a questão da privatização, junto com representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores (Fentect).

Quando a audiência já estava acontecendo, apareceu de surpresa o presidente golpista  dos Correios, Guilherme Campos do PSD, que só foi alçado ao cargo devido ao golpe de Estado no Brasil, que derrubou de forma ilegal e golpista o governo do PT.

O golpista Guilherme Campos, correspondendo a seu papel de golpista, foi lá para mentir, para propagandear que os Correios está falindo e que era preciso entregar a empresa e os direitos dos trabalhadores, principalmente o seu plano de saúde.

O plenário que estava tomado pelos trabalhadores dos Correios ficou indignado, e muito dos trabalhadores que estavam ali pediram para também falar, e a fala mais eloquente, que desmoralizou os argumentos do golpista Guilherme Campos foi a do diretor sindical Fábio Rogerio Xavier.

O carteiro Fábio Rogério usou o direito de fala para denunciar que tudo o que o presidente golpista falou era uma mentira, e que a cobrança de mensalidades no plano de saúde da categoria seria um ataque sem precedentes aos trabalhadores dos Correios que possui salários de no máximo 2.000 mil reais.

Passados dois anos, o companheiro Fábio Rogério recebeu em sua unidade um processo administrativo que visa demiti-lo, pelo fato de ter dito a verdade para a população brasileira.

Os golpistas alegam que Fábio teria dito informações sigilosas da ECT e que caberia retaliação por parte da direção golpista da ECT.

Também condenam o fato de Fábio ter ido na Câmera de Vereadores de Campinas sem antes tirar o uniforme da ECT, o que pode incorrer na sua demissão segundo o arbitrário “código de conduta” da ECT, que é estabelecido pelo Manpes – Manual pessoal da ECT- uma verdadeira ditadura na empresa.

O processo pede a demissão do companheiro Fábio Rogério Xavier, uma verdadeira “caça às bruxas” designada a esse sindicalista, que, se passar, abrirá precedente para punir qualquer um, uma vez que a acusação contra ele é justamente para impedir que os trabalhadores dos Correios possam denunciar a situação dos trabalhadores diante do golpe.

É preciso denunciar o que está acontecendo com o golpe na ECT e formar comitês de luta contra o golpe, e pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas, não esquecendo que o golpe só se aprofunda diante da prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Por isso é necessário levantar junto a campanha contra a privatização dos Correios a defesa da liberdade de Lula.