Golpistas do Itaú demite trabalhadora após a sua volta da licença–maternidade

itauRio_01-02-18

Os banqueiros do Itaú, além de perseguir trabalhadores, que adquirem problemas de saúde em consequência do trabalho com demissões, passa a demitir trabalhadoras que retornam da licença-maternidade.

O aumento dos ataques dos banqueiros nacionais e internacionais aos trabalhadores com o golpe de Estado não pode deixar nenhuma dúvida do porquê que os banqueiros são um dos principais financiadores do golpe no País.

Demissão em massa, fechamento de centenas de agências, assédio moral, descomissionamentos, nos bancos públicos essa política se soma com o sucateamento das empresas para a privatização. Os banqueiros, com o golpe, partiram para uma maior ofensiva contra os direitos e conquistas dos bancários com o objetivo claro de aumentar, ainda mais, os seus já fabulosos lucros através do aumento da exploração dos trabalhadores.

Desta vez foi o caso de uma trabalhadora do banco Itaú, em Brasília, que após o seu retorno da licença-maternidade foi recepcionada com a sua carta de demissão sem que houvesse qualquer motivo que justificasse tamanha arbitrariedade. No atual momento os trabalhadores bancários, tanto de bancos privados quanto de bancos públicos, estão passando por uma etapa de maior ataque à categoria, comparável à famigerada era FHC (PSDB) em que os bancários foram duramente atacados, o que levou a índices recordes de suicídios na categoria.

Somente através de uma ampla mobilização de toda a categoria com os demais trabalhadores poderá derrotar o golpe e todas as suas medidas e barrar a ofensiva reacionária dos banqueiros e dos capitalistas à classe trabalhadora.