Golpistas do banco Santander ameaçam organização dos trabalhadores

santander

A nova ofensiva dos ataques do banco espanhol, Santander, aos trabalhadores, em que o banco requer pagamento de danos materiais e morais, alegando abuso do direito de ajuizar ações civis públicas, diz respeito a ações impetradas pela Afunbesp (Associação dos Funcionários do Grupo Santander Banespa, Banesprev e Cabesp).

Os ataques são referentes a processos da Associação contra o banco, sendo a primeira em 2002, tais como incorporação de vale-alimentação; complemento de aposentadoria; reajuste do INPC na complementação de aposentadoria, dentre outras. Diga-se de passagem, que todas as ações são referentes ao roubo de conquistas e direitos dos trabalhadores, feita pelo banco, que tem todo o direito de requerer.

Além disso, a direção do banco imperialista vem sistematicamente impedindo o acesso de dirigentes sindicais nas dependências do banco para que os mesmos possam distribuir materiais e conversar com os trabalhadores, medida essa totalmente arbitrária em que passa por cima do Acordo Coletivo de Trabalho do próprio banco.

A ofensiva dos ataques do Santander aos trabalhadores é mais uma evidência do porquê que os banqueiros nacionais e internacionais apoiaram e financiaram o processo de golpe de Estado no país: liquidar com os direitos e conquistas dos trabalhadores para implantar uma política de terra arrasada para aumentar ainda mais os seus lucros.