Golpistas deixaram as universidades sem dinheiro, UNESP propõe cortar cursos

Unesp

Um retrato dos efeitos do golpe de Estado é o que esta acontecendo com as universidades públicas do pais. A política de corte de investimentos públicos está levando ao sucateamento das universidades estaduais, abrindo caminho para a privatização do ensino superior. Em São Paulo, as três estaduais estão em condições totalmente precárias para o próximo ano.

A Universidade Estadual de São Paulo, a UNESP, anunciou, por meio de sua reitoria, que para o próximo ano estão programados cortes de cursos em vários campus do estado, além do fim do vestibular de inverno, realizado no meio do ano. A universidade está com um déficit orçamentário que chega na casa dos R$300 milhões.

A reitoria anunciou que cursos com baixa procura serão extintos, além da realização de uma reforma na grade dos cursos, uma espécie de reforma do ensino médio, na qual o aluno ingressaria não mais em cursos específicos, mas em áreas do conhecimento. Desse modo, ao invés de ingressar em um curso de Física, ou Química, o estudante, ingressaria na área de ciências exatas.

E preciso deixar claro que essa política e um ataque direto a universidade. O corte de cursos e a mudança na grade curricular provocara a demissão de professores e funcionários, além de restringir ainda mais o acesso ao ensino superior.

A UNESP, após o golpe, já vem sofrendo com a política de sucateamento do governo PSDB, o qual vem nos últimos anos cortando bolsas de auxilio a pesquisa, além das bolsas de permanência estudantil, uma verdadeira política de exclusão da juventude pobre da universidade pública.

E preciso denunciar a destruição das universidades estaduais e mobilizar os estudantes contra o golpe de Estado, contra a política de terra arrasada levada a cabo pelos golpistas.