Risco de golpe militar
A imprensa burguesa, de forma ardilosa, tentou distorcer a declaração de Eduardo Duhalde de que não irá haver eleições na Argentina para responsabilizar o que podem ser golpeados
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
fernandez
A direita quer atacar os golpeados para deixar passar os golpistas | Foto: Reprodução

Nessa última semana este Diário noticiou a declaração de ex-presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, onde ele afirma categoricamente que não haverá eleições municipais na Argentina em 2021, denuncia as ilusões em relação às eleições e adverte a população do país das Malvinas sobre o risco de um golpe militar. A declação, difícil de ouvir saindo tão claro da boca das figuras políticas da esquerda, do nacionalismo burguês aos autointitulados revolucionários, causou imenso mal-estar na Argentina.

Agora, depois de uma certa repercussão dessa polêmica que acabou colocando a política da esquerda eleitoral em xeque e da política da direita a olho nu, a burguesia colocou sua máquina de propaganda para distorcer a declaração. O objetivo é voltar a denuncia as vítimas do golpe de Estado que a burguesia planeja. Uma tática velha e muito corriqueira da imprensa burguesa, esse monstro de desinformação e manipulação da burguesia. E não só na Argentina, como no Brasil a declaração do ex-presidente argentino foi completamente estuprada.

Um grande expoente dessa distorção é o jornal O Globo, que apresentou em suas páginas golpistas uma matéria cinicamente intitulada: “Crise da pandemia põe Argentina no caminho de um projeto autoritário”. Sem consultar o ex-presidente, o jornal da burguesia golpista coloca sua declação, sua polêmica, de cabeça para baixo. As páginas, além de ofender Duhalde dizendo que ele estava delirando, ficando louco, força a mão em dizer que o golpe de Estado que o ex-presidente denuncia seria no próprio presidente atual Alberto Fernandez, também um peronista.

É, no mínimo, absurdo. A matéria é todo um contorcionismo para apontar o canhão do golpe nos golpeados, e safar os golpistas. É ostensiva a fraude. Nas páginas do Globo podemos ver que, segundo essa linha editorial aberrante, a culpa da crise é do peronismo, e não do neoliberalismo imposto pela fraudulento eleição que levou Macri ao governo. Há menção de que não há uma ofensiva golpista porque não há politização dos quartéis, o que é também uma farsa porque já vemos um movimento de tipo fascista na Argentina que está ecoando nas forças armadas.

E, claro, o “recheio do bolo”: a campanha claramente golpista contra a esquerda. Todo aquele apelo que vimos contra o PT, vemos contra o peronismo argentino. Que é um “projeto de poder”, se isso fosse horrível, que não querem alternar, que não deixam a direita ganhar porque são sujos, etc. E toda a propaganda burguesia, direitista  e asquerosa que vimos no golpe de Estado de 2016 e até hoje, como nessa matéria d’O Globo.

O último parágrafo, de brinde, temos uma defesa do governo Bolsonaro:,

“Já não se fazem golpes como antigamente, com fuzis e tanques nas ruas. A Argentina começa a repetir o padrão insidioso de declínio institucional, num projeto autoritário que não prevê alternância no poder. Não é um recado salutar à América Latina, muito menos ao Brasil de Bolsonaro.”

Primeiro que o “golpe de antigamente”, o clássico militar, se choca com o que aconteceu aqui, em Honduras e também na Ucrânia, portanto é uma bobagem. Há sim um grande risco. Principalmente no que se refere a toda América Latina e principalmente o Brasil, que já possui no seu governo uma junta militar. O caso mostra como a burguesia é ardilosa em distorcer declarações que repercutem e não a convém, e de que é necessário em toda América Latina uma grande mobilização para derrubar os governos fantoches do imperialismo e expulsar daqui a influência imperialista que nos subjulgam nos impondo juntas militares para nos colocar em ditaduras abertas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas