Golpistas anunciam o fechamento de 700 agências dos Correios

ag. corr

O golpista Guilherme Campos, antes de exonerar do seu cargo de presidente golpista dos Correios, deixou para o seu sucessor a tarefa de fechar 700 agências próprias dos Correios, com a fajuta e manjada alegação de que essas agências são deficitárias.

A direita nacional vem tentando entregar os Correios para os capital privado desde o governo José Sarney no final dos 80, quando o ministro das comunicações da época, Antônio Carlos Magalhães, vulgo Toninho Malvadeza liberou a criação de Agências Franquiadas dos Correios (AGF), sem fechar as agências próprias.

O argumento usado na época para a criação das AGF era o de que as agências existentes não davam conta da demanda que os Correios tinha.

Óbvio que a concessão das AGF foram parar nas mãos dos políticos e padrinhos da burguesia local.

Hoje os golpistas estão fechando as agências dos Correios para diminuir os gastos da empresa, para entregar todo esse patrimônio nacional, que é os Correios brasileiro para os abutres do mercado postal mundial, DHL, Fedex, UPS etc.

As agências franquiadas, mais de 1000 espalhadas pelo país, continuam faturando horrores, e provavelmente novas franquias serão abertas.

Os golpistas que se apossaram do governo federal, através do impeachment fraudulento de Dilma Rousseff estão acabando com os Correios e nessa toada, se não houver uma reação de massas nas ruas, pelo povo brasileiro é possível que os Correios, a ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) não chegue até 2020.