Golpe na Argentina: justiça nega recurso e mantém condenação de vice de Kirchner

vice

Da redação – A Justiça argentina, tomada pelos agentes do imperialismo norte-americano como no Brasil e em toda América Latina, confirmou nesta quarta-feira, 22, a pena do ex-vice-presidente Amado Boudou (2011-2015), condenado a 5 anos e 10 meses de prisão por corrupção passiva e negociações incompatíveis com o exercício da função pública.

A Sala IV da Câmara Federal de Cassação Penal, composta pelos juízes Mariano Hernán Borinsky, Juan Carlos Gemignani e Gustavo Marcelo Hornos, declarou “inadmissível” o pedido de revisão de pensa.

A ofensiva de direita imperialista para prender seus inimigos políticos continua avançando em toda América Latina e como sempre, sob a bandeira da luta contra a corrupção a perseguição que pode começar na direita acaba na esquerda. O antigo governo de Cristina Kirchner, que também é alvo do judiciário golpista da Argentina, desta vez mirou em Boudou, que também foi ministro de economia de 2009 a 2011.

Porém, após a volta da Argentina a escravidão do Fundo Monetário Internacional (FMI) no governo de Mauricio Macri, esta mais do que claro que a ofensiva neoliberal e imperialista avança em toda a América Latina, coordenado por processos farsa, típicos da inteligência infiltrada da CIA nesses países com o objetivo histórico do imperialismo em acabar com todos os políticos da esquerda nacionalista, democrática e revolucionária e estabelecer uma verdadeira ditadura do capital financeiro.

Os exemplos na última década em todos os golpes e ameaças de golpes que ocorreram na América Latina, são: a guerra civil em Honduras; ataques terroristas financiados pelo imperialismo na Venezuela; na República da Nicarágua, golpe e prisão do Lula no Brasil, condenação sem provas de Rafael Correa do Equador e assim por diante. Na Argentina, desde a derrota do kirchnerismo nas últimas eleições presidenciais, quem governa o país é a ditadura do FMI, e o judiciário  é utilizado como arma da burguesia em todos esses países.