Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

O agora ex-presidente sul africano Jacob Zuma, de 75 anos, renunciou contra sua vontade na última quarta-feira (14) à presidência da África do Sul, pela TV estatal do país.

Presidente desde 2009, Zuma foi pressionado por seu partido (que comanda o país desde o final do Apartheid), Congresso Nacional Africano (ANC – sigla em inglês), a renunciar supostamente por conta de inúmeras denúncias de corrupção e por favorecer setores do empresariado com concessões públicas.

Tão logo Zuma renunciou, o Parlamento da África do Sul elegeu em seu lugar, nesta quinta-feira (15), o ex vice-presidente Cyril Ramaphosa, que foi a pessoa responsável por toda a articulação contra Zuma.

O sindicalista e advogado Cyril Ramaphosa foi eleito presidente do partido ANC no final de 2017, quando desbancou a esposa de Zuma, Nkosazana Dlamini-Zumae. Ramaphosa fará o discurso de posse nesta sexta-feira (16).

O enredo é conhecido dos brasileiros e em muito lembra a queda da presidenta eleita Dilma Rousseff, quando seu vice, Michel Temer, articulou todo o tempo um golpe para assumir a cadeira da Presidência.

Não coincidentemente, a África do Sul, assim como o Brasil, é um dos cinco países que compõe o BRICS (juntamente com Rússia, Índia e China), organização de destaque no cenário geopolítico global.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas