Golpe Militar: Coronel Bolsonarista grava vídeo ameaçando fechar Supremo, e anuncia que militares estiveram por trás de todo o processo golpista

coronel

Em vídeo do youtube, o coronel Carlos Alves de Lima Filho ameaça fechar o Supremo tribunal Federal se Haddad vencer eleição e afirma que as forças armadas colocoram um general como assessor de Toffoli para fazer o ministro “fazer xixi dentro do penico”, o que significa colocar o Supremo na linha. O centro de Comunicação Social do Exército confirmou que o vídeo é mesmo do Coronel da reserva Carlos Alves que se responsabiliza pelas declarações que não representam o pensamento do Exército Brasileiro.

Segue abaixo algumas declarações do Coronel:

“Olha aqui, ô Rosa Weber, vou te falar uma coisa que vai para o TSE e o STF.

“Não se atreva a ousar aceitar essa afronta contra o povo brasileiro, essa proposta indecente do PT, de querer tirar Bolsonaro do pleito eleitoral acusando-o de desonestidade, acusando-o de ser cúmplice de uma campanha violenta no WhatsApp para promover notícias falsas.

Nós sabemos pelas pesquisas, seus canalhas, que Bolsonaro hoje vence, não com 61% como vocês dizem, mas com quase 80%, quiçá 90%.

“Se você aceitar essa denúncia ridícula e tentar tirar Bolsonaro por crime eleitoral nós vamos derrubar vocês e aí acabou! Lembre-se bem, povo brasileiro: em 1964 foi exatamente por causa da corja da esquerda.

“STF, STF de canalhas, STF de corruptos, de vagabundos! TSE, esse tribunal porcalhão que insiste em se apossar das urnas que pertencem ao povo brasileiro. Não cabe a vocês decidirem de que maneira vamos escolher o presidente. Tem pica grossa aqui atrás.

“E se Haddad for eleito Presidente da República, eu como intervencionista, e milhões de brasileiros, ficaremos com duvida e só temos uma forma de tirar essa dúvida: é no pau! E mesmo com brasileiros desarmados nós temos faca, foice, martelo, temos o diabo! Seus vagabundos, seus canalhas!

“Eu estou autorizado pela alta cúpula do exército, da Marinha, da Aeronáutica para dizer que houve atrito no alto comando do exército e um general quase atravessou a praça dos Três Poderes para dar voz de prisão ao Supremo porque o Lewandowski se atreveu a autorizar Lula a dar uma entrevista.

“Nós não aceitaremos Haddad subindo a rampa com Lula. Quando os militares subirem a rampa para pegar Lula, Haddad, nós limparemos o nosso nome para sempre pois somos os guardiões da pátria brasileira.”

Percebe-se então porque os militares foram um setor fundamental do golpe de estado. Além de estarem apoiando abertamente o candidato do golpe, Jair Bolsonaro, ainda estão ameaçando os tribunais, atacando a esquerda e o movimento operário, revelando que quase houve um golpe militar e dizendo que não aceitam nem Lula, nem Haddad.

Por isso é preciso denunciar o Golpe Militar que se aproxima. Fora Bolsonaro e Todos os Golpistas! Abaixo Golpe! Não ao Golpe Militar!