Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
BRASÍLIA, DF, 28.02.2018 - FORÇAS-ARMADAS: Cerimônia em homenagem ao general do exército, Antônio Hamilton Martins Mourão, que se despede do exército ao passar para a reserva, no quartel-general do exército, em Brasília, nesta quarta-feira. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
|

Da redação – O jornalista Leonardo Attuch, entrevistador da Análise Política na TV 247 transmitida agora ao vivo, trouxe para o presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, uma questão do chat do programa sobre a ameaça dos militares ao povo: “vários generais disseram que Mourão tomaria protagonismo após o suposto atentado”.

Rui respondeu:

“A eleição do Mourão é praticamente uma formalização do golpe de estado. E ai nós temos que pensar nesses casos: se nós estamos preparados para lutar pelos nosso direitos ou se, como disse um companheiro aqui no chat: “nossa única possibilidade é o voto?”. Por que se perder a eleição o que acontece? Nós vamos abaixar a cabeça, nós vamos sair do país, nós vamos apanhar na rua? Ou a gente se mobiliza, se organiza, ou não vamos conseguir nada!

[…]

Eu acho assim, ao invés do pessoal ficar tão contente, deveria se abrir no meio da esquerda um debate aberto sobre o que está acontecendo no Brasil. Eleição não é um fator decisivo. Militar não respeita eleição. TSE não respeita eleição. A Dilma foi eleita. Quando ela foi eleita o pessoal falou: a crise acabou. E a crise estava só começando. Tiraram ela de lá com 54 milhões de votos, eu acho que o pessoal vive em outro país.

[…]

O pessoal deveria ter se mobilizado, tiveram vários atos públicos. Dia 15 de agosto nós fomos para Brasília defender a candidatura do Lula. Porque o pessoal não se mobilizou? O pessoal que está fazendo festa ai, porque não levou 300 mil pessoas para Brasília? Eles acham o que, que na hora de votar, a Cármen Lúcia vai ter medo de discurso eleitoral ? Se é pra ela ter medo ela tem medo do Villas Boas!

[…]

No Brasil o que mais acontece é derrubar presidente. As Forças armadas têm armas, tem tanque, a doutrinação deles é permanente.”

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas